Pesquisador emérito

Prêmio concedido pelo CNPq, desde 2005, a pesquisadores brasileiros ou estrangeiros, radicados no Brasil há pelo menos 10 anos, que prestaram relevantes contribuições para o país. A premiação é concedida como reconhecimento ao renome, junto à comunidade científica, e pelo conjunto de sua obra científico-tecnológica.

Foto do Wladimir Lobato Paraense

Wladimir Lobato Paraense

2006

  • Wladimir Lobato Paraense é pesquisador e chefe do Laboratório de Malacologia da Fundação Oswaldo Cruz. Graduado em medicina nas faculdades de Medicina e Cirurgia do Pará e Medicina de Recife, com especialização em Anatomia Patológica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, já lecionou em diversas faculdades de medicina no Brasil, México e Venezuela, e foi membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
     
    Lobato foi o primeiro investigador a comprovar a existência do ciclo pré-eritrocitário do parasita da malária e, desde 1954, dedica suas pesquisas a moluscos de água doce do hemisfério ocidental, já tendo identificado 10 novas espécies. Foi eleito Man of lhe Year 1997 pelo American Biographical Institute, dos Estados Unidos, condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, em 1995, e com a medalha Carlos Chagas Filho da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de janeiro, em 2006.
     
    Recebeu mais de 25 homenagens, prêmios e medalhas, entre eles o Prêmio Golfinho de Ouro, categoria de Ciências, do Governo do Estado do Rio de janeiro. No ano de 1995, foi contemplado pela Fundação Oswaldo Cruz com o diploma de Doutor Notório Saber em Ciências, baseado na sua relevante contribuição científica nas áreas de Biologia Parasitária e Medicina Tropical. Hoje é membro de mais de 20 sociedades científicas no Brasil e no exterior.

Foto do Ramayana Gazzinelli

Ramayana Gazzinelli

2006

  • Graduado em engenharia pela Universidade Federal de Minas Gerais, com doutorado em Física pela Columbia University, nos Estados Unidos, Ramayana Gazzinelli dedicou sua carreira ao magistério e à pesquisa em Física da Matéria Condensada. Teve papel relevante na formação do Departamento ele Física da Universidade Federal de Minas
    atualmente um dos melhores centros de pesquisa em física do país e, por isso, após sua aposentadoria, foi titulado Professor Emérito.


    Integrou, ainda, vários órgãos ligados à pesquisa científica, tendo sido chefe de pesquisas da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), membro da Comissão de Avaliação do Programa Nuclear Brasileiro, membro do Conselho Diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e da Comissão de Física para o Desenvolvimento da International Union of Pure and Applied Physics (lUPAP).

    Foi, também, pesquisador visitante do Institut für Angewandte Festkörperphysik, Freiburg, Alemanha, e membro do conselho, secretário de ensino e presidente da Sociedade Brasileira de Física. Participou, durante muitos anos, do Comitê Assessor de Física e Astronomia do CNPq. Desde 1979 Gazzinelli é membro titular da Academia Brasileira de Ciências. Em 2002 o pesquisador foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, a mais alta insígnia oferecida pelo Governo Federal na área de Ciência e Tecnologia.


Foto do Rogério Cezar de Cerqueira Leite

Rogério Cezar de Cerqueira Leite

2006

  • Rogério Cerqueira Leite tem uma carreira caracterizada pela diversidade de atuação, passando pela docência acadêmica, gestão de instituições privadas e várias participações como conselheiro. Engenheiro Eletrônico pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Cerqueira Leite concluiu o doutorado em Física de Sólidos na Universidade de Paris, em 1962. Foi professor do ITA e da Universidade de Campinas, onde também ocupou o cargo de Diretor do Instituto de Física.

    Cerqueira Leite tem participação importante no desenvolvimento da ciência, especialmente em São Paulo, sendo membro fundador da Academia Paulista de Ciências e atuando, por seis anos, como membro do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). O pesquisador foi, ainda, presidente do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), de 1985 a 1997, onde ainda atua como presidente do Conselho de Administração.

    Outras atividades de Cerqueira Leite incluem a presidência da Companhia de Desenvolvimento do Pólo de Alta Tecnologia de Campinas, a vice-presidência executiva da Companhia Paulista de Força e Luz, a participação, pela ONU, da "Conferência de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento" de 1976, e a participação em missões da Presidência da República do Brasil para acordos de cooperação internacional em tecnologia industrial. Entre os títulos obtidos estão a Ordem Nacional do Mérito da França, a Cátedra da Universidade de Montreal, no Canadá, e o Título de Professor Emérito da Unicamp. Publicou cerca de 80 trabalhos em revistas especializadas, recebendo cerca de três mil citações em revistas indexadas.


— 20 Itens por página
Mostrando 61 - 63 de 63 resultados.