Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Antonio André Novotny

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • desenvolvimento de novos métodos de resolução de problemas inversos utilizando o conceito de derivada topológica
  • Diversas classes de problemas inversos são escritos na forma de equações diferenciais parciais sobredeterminadas. Essa dificuldade pode ser contornada reescrevendo o problema inverso na forma de um problema de otimização. A ideia básica consiste em minimizar um funcional que mede a diferença entre o dado lido e o calculado numericamente em relação aos parâmetros de interesse. O conceito de derivada topológica é então utilizado. Em particular, o funcional objetivo é expandido e em seguida truncado até o termo de segunda ordem, o que resulta em uma forma quadrática e estritamente convexa em termos dos parâmetros de interesse. Finalmente, através de um processo trivial de otimização obtém-se um algoritmo de reconstrução de segunda ordem não-iterativo e independente de qualquer chute inicial. Como resultado, o processo de reconstrução torna-se extremamente robusto a presença de ruído. Através desse projeto de pesquisa objetiva-se aplicar essa metodologia a diversas classes de problemas inversos, com potencial aplicação na detecção de fontes poluidoras em bacias hidrográficas, tratamento de câncer por hipertermia, medicina diagnóstica de detecção precoce de câncer, reconstrução de obstáculos imersos em fluido e reconstrução de anomalias utilizando ondas sonoras.
  • Laboratório Nacional de Computação Científica - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Angelo Martins da Fonseca

Ciências Humanas

Geografia
  • regionalismo, governança e justiça espacial no semiárido baiano: um estudo comparativo
  • A expansão da globalização neoliberal tem gerado a emergência de novas dinâmicas regionais - como os novos regionalismos -, de novos modelos de governança regional e da ampliação das injustiças espaciais nas mais diversas escalas geográficas. E este projeto de pesquisa tem como objetivo geral a realização de análise comparativa envolvendo as relações entre regionalismo, governança regional e justiça espacial, tomando como referência os processos de instalação e expansão de parques eólicos, e à regionalização dos Serviços de Saúde/SUS nas regiões de Brumado, Guanambi, Jacobina e Irecê/Bahia. É uma pesquisa que se justifica pela minha experiência em relação às temáticas, pela contribuição que poderá trazer para a discussão interna da geografia quanto à relação entre regionalismo, governança regional e justiça espacial. Em termos teóricos, esta pesquisa se baseará nas abordagens do novo regionalismo, de governança e de justiça espacial. O novo regionalismo se refere tanto a mobilizações e/ou conjunto de decisões e ações políticas, econômicas e institucionais, quanto à tendência de expansão das decisões, das ações e dos processos multivariados para a escala regional. Esta abordagem é importante porque está vinculada à ação social e política; porque pressupõe a existência de coesão, cooperação e funcionalidade na região; porque expressa a existência de uma região política ideal, porque abre espaço para o desenvolvimento de novos modelos de gestão baseado na governança regional, e porque, normalmente, se busca a justiça espacial. Governança refere-se às parcerias, às decisões e ações descentralizadas com a participação dos variados agentes da sociedade, sobretudo do Estado. E justiça espacial significa equidade, a garantia de acesso aos serviços públicos, ao emprego e às diversas vantagens da vida em sociedade, de forma que melhore as condições sociais de todos, sobretudo as dos mais pobres. Em termos metodológicos, será adotado um modelo de governança regional e de justiça espacial. Estes dependem dos condicionantes políticos, institucional e espacial, e dos conteúdos regionais, constituídos pela coesão, cooperação e funcionalidade (regras e rotinas, agentes e articulações, e funções), e pelas ações (programas e distribuição de recursos). Os condicionantes e conteúdos são os responsáveis pela organização espacial dos equipamentos de saúde, pelas formas de atendimento médico aos pacientes, e pela instalação e expansão dos parques eólicos. Este modelo, além de contemplar as bases teóricas apontadas neste projeto, subsidiará o cronograma de atividades e os procedimentos metodológicos (qualitativos e quantitativos) que envolvem levantamento bibliográfico, trabalhos de campo, entrevistas, mapeamentos, publicações, discussões, apresentações de trabalhos, workshop e o relatório final.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Augusto Chaves

Engenharias

Engenharia de Produção
  • uma metaheurística adaptativa aplicada a problemas de otimização combinatória com preferências
  • O estudo de metaheurísticas eficientes para resolver problemas de otimização tem sido alvo de muitas pesquisas por parte da comunidade científica. Para obter bons resultados em termos de qualidade de soluções e tempo computacional é importante haver uma boa configuração da metaheurística. Este processo de especificação do fluxo de controle e dos valores dos parâmetros de um método é uma tarefa árdua. Desta forma, este projeto tem como ideia central o desenvolvimento e aperfeiçoamento do método adaptativo Biased Random-key Genetic Algorithm (A-BRKGA) para escolher quais componentes serão utilizados e em qual sequência (fluxo de controle do A-BRKGA) e quais parâmetros utilizar enquanto uma instância de um problema esteja sendo resolvida. Para tal, serão estudadas técnicas de aprendizagem de máquinas e mecanismos adaptativos e reativos para construir um A-BRKGA com configuração on-line de parâmetros e fluxo de controle. O principal objetivo é gerar um algoritmo eficiente para resolver problemas de otimização combinatória e que o código seja fácil de ser reutilizado. Para avaliar o método proposto serão estudados problemas de otimização combinatória com preferências: problemas de agregação de rankings, problema de localização de facilidades capacitadas em dois níveis, problema de localização de facilidades com sobreposição de cobertura. Os testes computacionais utilizarão problemas teste disponíveis na literatura e estudos de caso reais. O método será comparado com algoritmos estado-da-arte por meio de análises estatísticas.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Augusto Ferreira Carioca

Ciências da Saúde

Nutrição
  • perspectivas e desafios do aprimoramento do sistema de vigilância alimentar e nutricional: uma abordagem de métodos mistos
  • O Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) é um sistema contínuo e sistemático para coleta de informações sobre perfil antropométrico e consumo alimentar e fatores associados da população brasileira. O Sistema permite diagnóstico da situação antropométrica e de marcadores do consumo alimentar para todas as faixas etárias, além de possibilitar rastrear áreas geográficas, segmentos sociais e grupos populacionais mais vulneráveis. No entanto, observa-se que este possui limitações quanto a qualidade e inserção dos dados no Sistema pelos municípios, decorrentes da incipiente estrutura operacional, lacunas na realização de medidas antropométricas, dificuldades de transmissão de informações, alta rotatividade da mão de obra e ausência de rotina no processo de registro. Com isso, pretende-se utilizar métodos mistos para analisar a qualidade dos dados antropométricos e de consumo alimentar inseridos no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) e principais desafios na perspectiva dos gestores, profissionais da saúde, usuários nas regiões do Brasil. Trata-se de um projeto multicêntrico, de caráter misto, que adotará procedimentos metodológicos com princípios e procedimentos quantitativos (estudo ecológico) e qualitativos (estudo de caso) executado no período de janeiro de 2020 a dezembro de 2022. Os locais de coleta no segmento qualitativo serão as Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS) nas cincos regiões brasileiras nas seguintes cidades: Fortaleza (CE), Rio Branco (AC), Cuiabá (MT), São Paulo (SP), Niterói (RJ), Novo Hamburgo (RS) onde serão analisados os desafios da qualidade dos dados inseridos e analisados no SISVAN na perspectiva dos gestores, profissionais da saúde, usuários do Sistema Único de Saúde. A coleta será realizada por uma entrevista semiestruturada com roteiro, previamente testado, elaborado pelos pesquisadores. Todas as entrevistas serão gravadas e transcritas e submetidas à análise de conteúdo. O componente quantitativo será realizado por um estudo epidemiológico do tipo ecológico, com as regiões brasileira e população usuária da Atenção Básica em Saúde (ABS) do Sistema Único de Saúde (SUS) e registrada no SISVAN Web, a partir de 2008, em todas as faixas etárias e unidades da federação (UFs) e macrorregiões. A relação entre os indicadores de qualidade e as variáveis socioeconômicas, demográficas e de saúde dos municípios será avaliada por meio de análise de correlação, diferença de médias e por modelos de regressão lineares generalizados. Será considerado nível de significância menor que 0,05. A proposição de estratégias para melhoria da coleta e inserção dados no sistema pressupõe a realização de avaliações de usabilidade (ISO 9241-11) que têm foco em avaliar a qualidade das interações que se estabelecem entre usuários e o sistema. De posse das análises anteriores, a interpretação dos métodos mistos demandará olhar os resultados quantitativos e achados qualitativos avaliando-os como as questões estão sendo tratadas em alcance dos objetivos propostos. Esta fase caracteriza-se pela extração de “inferências” (conclusões ou interpretações separadas extraídas das análises anteriores) e “metainferências” (entre os elementos quantitativos e qualitativos).
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 01/01/2020-31/12/2021
Foto de perfil

Antônio Augusto Ferreira Carioca

Ciências da Saúde

Nutrição
  • dieta, microbiota intestinal e risco cardiovascular: estudo de saúde dos nutricionistas – fortaleza/ceará
  • Com maior longevidade das populações cresce a incidência de doenças crônicas não-transmissíveis, decorrente principalmente pelo aumento da obesidade. Condições ambientais, como dieta inadequada e inatividade física são apontadas como principais determinantes deste quadro. Na população brasileira e em outras, as doenças cardiovasculares lideram as causas de mortalidade, justificando a identificação e combate aos seus fatores de risco. Hoje se sabe que condições ambientais influenciam a microbiota intestinal e que sua composição interfere em mecanismos imunológicos, na predisposição ao ganho de peso e na sensibilidade à insulina. Assim, o predomínio de firmicutes sobre os bacteroidetes tem sido associado à obesidade em modelos animais e em humanos. Por isso, é desejável um estudo de coorte que, em função deste delineamento, seja capaz de investigar prospectivamente potenciais fatores de risco para ocorrência doenças crônicas, permitindo elucidar a sequência temporal entre fatores causais e efeitos fisiopatogênicos. Com isso, o objetivo dessa proposta será avaliar a relação entre dieta, microbiota intestinal e risco cardiovascular em um estudo de coorte com estudantes de nutrição. Tratar-se-á de um estudo de coorte com amostra composta por 1200 voluntários dos Cursos de Nutrição de Fortaleza. Na primeira fase, por meio de questionários estruturados, com preenchimento eletrônico, serão obtidos dados demográficos, socioeconômicos, de hábitos de vida, questionário de frequência alimentar, antecedentes mórbidos pessoais e familiares. Serão coletadas amostras de sangue e fezes para análises bioquímicas (perfil lipídico, inflamatório e glicêmico) e de microbiota intestinal, respectivamente. E serão também coletados dados antropométricos (peso corporal, altura e circunferência da cintura) e de pressão arterial. A segunda fase, será realizada após dois anos, no qual serão coletados questionários estruturados, dados antropométricos, de pressão arterial e amostras de sangue da mesma população. Modelos lineares generalizados serão empregados para avaliar a associação entre as variáveis. Ajustes por sexo, idade, atividade física e outras variáveis poderão ser realizados. Com este estudo, tem-se a expectativa de se compreender as relações existentes entre a microbiota fecal e o padrão alimentar, assim como determinar a influência das bactérias sobre fatores de risco cardiovascular.
  • Universidade de Fortaleza - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antônio Augusto Moura da Silva

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • síndrome congênita pelo zika vírus, soroprevalência e análise espacial e temporal de vírus zika e chikungunya no maranhão
  • O nosso grupo de pesquisa acompanha desde o segundo semestre de 2015 uma série de cerca de 100 casos prováveis de síndrome congênita pelo Zika vírus, atendidos no Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (NINAR), em São Luís, Maranhão. Foi submetido em junho de 2016 um primeiro artigo com uma série inicial de 48 casos de provável síndrome congênita pelo Zika vírus, que está em revisão. Infelizmente, por dificuldades do sistema de saúde ainda temos confirmação laboratorial por IgG de apenas um estes casos. Desta forma, no presente projeto estabelecemos cooperação com o Instituto de Medicina Tropical da USP para confirmar por sorologia IgG estes casos e poder descrever uma série mais completa com confirmação laboratorial. Além disso estudaremos com detalhes as lesões oftalmológicas e o desenvolvimento visual destas crianças. Realizaremos também o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento por meio do teste Bayley III destas crianças, estudaremos sua resposta imune à infecção e a evolução neurológica, incluindo eletroencefalografia. Em paralelo seguiremos um grupo de crianças com infecção congênita assintomática pelo Zika vírus, filhas de gestantes que tiveram sintomas de Zika vírus durante a gravidez, sendo mãe e filho(a) IgG positivos, pois ainda é pouco conhecido como a infecção assintomática repercute na criança, tanto em termos clínicos como imunológicos. Realizaremos monitoramento de microcefalia em recém-nascidos em amostra de base populacional (quatro maternidades de cidade que atendem ao maior volume de nascimentos) para poder acompanhar a dinâmica da síndrome congênita pelo Zika vírus em tempo real. Será feita comparação com a prevalência de microcefalia nestes mesmos hospitais em período anterior sem epidemia (dados disponíveis da coorte de nascimentos de São Luís de 2010 (projeto BRISA). Será feito estudo qualitativo para compreender a percepção dos pais e das famílias das crianças com síndrome congênita pelo ZIKV sobre a doença e conhecer as formas de enfrentamento por eles utilizadas. Neste subprojeto será investigado o lado humano da infecção obstétrica e neonatal pelo vírus Zika, abrangendo aspectos sociais e psicológicos de grande impacto na vida dos indivíduos acometidos. Essa abordagem qualitativa buscará compreender a percepção do problema por parte da família, especialmente por parte dos pais dos bebês com microcefalia e de profissionais envolvidos com seu atendimento. Busca apontar formas mais efetivas de ajudar as famílias e os profissionais a lidar com o problema e permitir que o poder público adote políticas mais adequadas e humanizadas de enfrentamento à essa epidemia. A ilha do Maranhão enfrenta duas epidemias de Zika vírus e Chikungunya. Para conhecer a magnitude destas epidemias, faremos inquérito de base populacional utilizando amostragem por conglomerados para medir a soroprevalência de anticorpos IgG para estes dois vírus. A realização deste inquérito será importante também para estimar a taxa de infecção congênita pelo Zika vírus e prever o comportamento da epidemia no futuro próximo. Investigaremos também a resposta imune em indivíduos soropositivos para IgG. Por último estudaremos a dinâmica espacial e temporal da microcefalia, Zika vírus, febre pelo Chikungunya e índices de infestação pelo Aedes, visando à identificação de padrões comuns que possam contribuir para as ações de controle destas epidemias.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 01/11/2016-31/10/2020
Foto de perfil

Antonio Carlos Bender Burtoloso

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • reações de michael e de cicloadição assimétricas em diazocetonas e ilídeos de enxofre insaturados
  • Heterociclos contendo átomos de enxofre, oxigênio e nitrogênio em sua estrutura são extensamente estudados devido as suas propriedades medicinais, como por exemplo, atividades antifúngicas, bactericidas, antivirais, antitumorais entre outras. Em vista disso, metodologias que permitam o acesso a esses compostos em poucas etapas e de forma eficiente são de grandes atrativos para a química orgânica. Neste projeto propõe-se o estudo das reações de Michael assimétricas com diazocetonas e ilídeos de enxofre a,b-insaturados objetivando a formação dos adutos quirais. As diazocetonas a,b-insaturadas serão preparadas a partir das reações de olefinação de Horner-Wadsworth-Emmons (HWE) entre diazofosfonatos e aldeídos. Os ilídeos de enxofre a partir da reação de metilídeo de dimetilsulfoxônio e os respectivos cloretos de ácidos. Na sequência, serão realizados estudos metodológicos para as adições de Michael empregando organocatalisadores quirais. Os adutos obtidos serão submetidos às reações de inserção X-H intramoleculares para fornecer os respectivos heterociclos. Uma vez que se obteve sucesso nas adições de Michael assimétricas, almeja-se empregar essa metodologia para construção de sistemas bicíclicos, como os núcleos indolizídinicos por meio de reação de vinil-Michael assimétrica. Ainda, outra abordagem para síntese de esqueletos pirrolizidínicos e indolizidínicos quirais poderá ser avaliada. Esses sistemas biciclos são intermediários avançados os quais poderão ser aplicados em síntese de alcaloides mais complexos. A outra etapa do projeto será dedicada à investigação da reatividade das diazocetonas insaturadas nas reações de cicloadição. Estas serão avaliadas como dienos e também como dienófilos, visando a obtenção de carbociclos altamente funcionalizados.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Campos de Carvalho

Ciências da Saúde

Medicina
  • instituto nacional de ciência e tecnologia em medicina regenerativa
  • A importância crescente da Medicina Regenerativa está relacionada às modificações demográficas e sociais do mundo atual. O aumento progressivo da idade média das populações gera a necessidade de garantir, cada vez mais, uma qualidade de vida compatível com um custo e uma carga social aceitáveis. Estima-se que o número de pessoas na terceira idade (65-85 anos) triplicará nos próximos 50 anos, e o número de habitantes com mais de 85 anos será multiplicado por seis no mesmo período. Por causa, principalmente, das doenças degenerativas, o segundo desses dois grupos consome vinte vezes mais recursos de assistência médica e duas vezes mais de internações hospitalares do que o primeiro. Por outro lado, as populações jovens, vivendo em regiões de alta densidade populacional, estão mais expostas a lesões traumáticas. Embora numericamente menos significativas, essas lesões tem um altíssimo custo social, gerando, frequentemente, pessoas jovens debilitadas ou permanentemente incapacitadas para uma vida normal e produtiva. Em populações urbanas do Brasil, as lesões traumáticas são a primeira causa tanto da internação hospitalar quanto da morte na segunda e terceira décadas da vida dos jovens. Tanto as doenças degenerativas como as lesões traumáticas exigem terapias que possam preservar, melhorar, e/ou restaurar as funções teciduais. Contrastando com a produção de fármacos, antibióticos ou vacinas, que podem ser usados indistintamente por um grande número de pessoas, a Medicina Regenerativa tende a ser individualizada, dirigida, especificamente, a cada paciente. A proposta de um Instituto Nacional de Ciência, Tecnologia Inovação e Desenvolvimento em Medicina Regenerativa (INCT- REGENERA) se enquadra na área da Saúde, como proposta de demanda induzida, tendo, como objetivo, articular, organizar e consolidar as competências existentes no País em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual. As aplicações da Medicina Regenerativa dependem ainda do desenvolvimento de conhecimentos básicos e pré-clínicos que demandam um trabalho multidisciplinar de equipes, as quais, integradas, reunem cientistas com formações distintas. O INCT de Medicina Regenerativa objetiva organizar uma rede de pesquisa em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual abordando diferentes doenças de alta prevalência, morbidade e mortalidade na nossa população, garantindo a transferência dos conhecimentos gerados e das tecnologias desenvolvidas para a assistência médica, potencializando e viabilizando seu uso em todos os Estados da nação. Iremos contribuir para a formação científica qualificada de pessoal em Medicina Regenerativa, e promover a divulgação das potencialidades e limitações da Medicina Regenerativa para a Sociedade, contribuindo, de forma efetiva, para seu uso racional e seguro. Através desses mecanismos, queremos aumentar a qualidade de vida dos pacientes, bem como reduzir a morbidade e mortalidade destas doenças e minorar os custos no Sistema Único de Saúde (SUS). INCT-REGENERA objetiva desenvolver diferentes estratégias na área de Medicina Regenerativa para os seguintes sistemas: cardiovascular, nervoso, respiratório, renal, digestório, endócrino, locomotor e tegumentar através de estudos básicos, pré-clínicos e clínicos. Para tal, objetiva-se desenvolver modelos in vitro e modelos animais, de doenças que afetam seres humanos, e testar a segurança e eficácia das terapias regenerativas com diferentes tipos de células e matrizes nestes modelos, estudando seus mecanismos de ação através do uso de métodos ômicos. A partir dos resultados obtidos nestes estudos serão desenhados estudos clínicos. Inclui-se nesta proposta, como empresas participantes, os seguintes hospitais: São Rafael (Bahia), UNIMED-Rio, Albert Einstein (São Paulo) que fornecerão sua infra-estrutura para estudos clínicos, assim como a empresa CELLMED (Porto Alegre) que fornecerá sua infra-estrutura para teste de terapias regenerativas em animais espontaneamente lesados. Além disso, teremos a participação do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), vinculado ao Ministério da Saúde. Vale ressaltar que todos os estudos terão a participação presencial de umcorpo clínico qualificado para conduzir ensaios clínicos de segurança, exequibilidade e, posteriormente, eficácia das terapias regenerativas em doenças para as quais não existe ainda terapêutica adequada. O INCT-REGENERA conta com a participação de Centros de Terapia Celular (CTCs) dentre os quais podemos citar o da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, o da Universidade de São Paulo, o do Instituto Nacional de Cardiologia e o do Hospital São Rafael em Salvador. Os CTCs da PUC-PR e do São Rafael, certificados pela ANVISA, já estão preparados para fornecer células em condições de boas práticas de manufatura (GMP) para os estudos propostos e os outros estão em fase de conclusão e/ou credenciamento. O INCT-REGENERA está apto a viabilizar, o mais precocemente possível, os estudos básicos, pré-clínicos e clínicos, pois a equipe proponente inclui especialistas, líderes dos grupos de pesquisa associados, que atuam, já há algum tempo, nesta área. No ambiente da inovação, o INCT- REGENERA tem como propósito desenvolver técnicas de Bioengenharia visando ao desenvolvimento de órgãos que possam, no futuro próximo, ser transplantados. Outra responsabilidade do novo INCT-REGENERA será a organização de cursos de treinamento em terapias celulares e cursos de boas práticas em laboratório (BPL) e de manufatura (BPM). Caberá ainda ao INTC-REGENERA desenvolver um banco de dados em parceria com o Instituto Virtual de Células-Tronco (www.ivct.org) contendo informações sobre a biologia básica e o potencial terapêutico de células-tronco além de dados sobre as linhagens disponíveis para a comunidade científica e médica do Brasil.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos Cicogna

Ciências da Saúde

Medicina
  • análise proteômica do miocárdio de ratos com disfunção ventricular atenuada pelo treinamento físico aeróbio.
  • Apesar dos avanços em diversas áreas no campo da cardiologia, as doenças cardiovasculares representam marcante problema de saúde pública, com alta prevalência e morbimortalidade. Estes indicadores apontam para a importância do entendimento dos mecanismos moleculares envolvidos na gênese dessas patologias, o que poderá resultar no desenvolvimento de novas terapias. Estudos abrangendo humanos com remodelação cardíaca (RC) seriam úteis na elucidação dos mecanismos envolvidos na disfunção cardíaca, no entanto, é muito difícil a obtenção de amostras adequadas, devido a várias limitações. Neste sentido, diversos modelos experimentais têm sido propostos para o estudo da RC; dentre eles, destaca-se a estenose aórtica supravalvar (EAo). Neste modelo os mecanismos fisiopatológicos responsáveis pela depressão da função cardíaca não estão totalmente esclarecidos; o trânsito de cálcio, sistema beta adrenérgico, metabolismo energético, citoesqueleto, matriz extracelular, número de miócitos e alteração da geometria da cavidade podem contribuir para o desenvolvimento da disfunção e/ou insuficiência cardíaca. Tratamentos farmacológicos e não farmacológicos, como o treinamento físico aeróbio (TFa), são utilizados com o objetivo de atenuar a deterioração do desempenho do músculo cardíaco remodelado. Em nossa instituição, diferentes autores analisaram o efeito do TFa no coração patológico de roedores com EAo. Enquanto alguns autores não detectaram alteração no desempenho, outros mostraram que o TFa promoveu atenuação da disfunção diastólica e/ou sistólica. Entretanto, estes trabalhos não analisaram os mecanismos envolvidos nos efeitos benéficos desta terapêutica. Uma das abordagens de pesquisa que tem se destacado na última década é a análise proteômica, cuja função é descrever todo o conjunto de proteínas expressas de um genoma em condições específicas e em determinado momento, a partir de uma célula, tecido ou organismo. O proteoma cardiovascular é uma das áreas mais estudadas no campo da saúde, porém tem sido pouco explorado em modelos de sobrecarga pressórica por constrição aórtica, não sendo encontrados estudos associados com o treinamento físico. Diante do exposto, o objetivo deste estudo é investigar por meio do proteoma miocárdico os mecanismos envolvidos na atenuação da disfunção ventricular pelo treinamento físico aeróbio em ratos com estenose aórtica supravalvar. Com esta proposta, poderemos verificar quais são as proteínas que se expressam de maneira diferente no miocárdio de animais com EAo e, como essas macromoléculas se comportam no grupo com sobrecarga pressórica e cardioproteção do treinamento físico aeróbio. Esta propositura vai permitir compreender de forma global a rede de mecanismos envolvida na hipertrofia patológica e como o treinamento interfere neste processo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Antonio Carlos da Silva Oscar Júnior

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • clima urbano e dengue nas cidades da região metropolitana do rio de janeiro (rmrj)
  • As mudanças climáticas globais constituem tema da mais alta relevância na sociedade contemporânea. Suas repercussões sobre o futuro do planeta, especialmente quanto aos impactos do clima sobre a sociedade, é um dos temas de maior preocupação de cientistas e formuladores de políticas públicas. Dentre as várias questões colocadas pelos cenários futuros de mudanças climáticas, destacam-se aquelas relacionadas aos efeitos do aquecimento climático sobre a saúde da população. Nesse sentido, o clima urbano desperta especial atenção, mormente quanto ao campo termodinâmico (ICs - ilhas de calor), pois estima-se que as condições de calor nas cidades brasileiras serão mais intensas que na atualidade. Considerando-se a influência do clima (calor e umidade) na proliferação da dengue (especialmente do Aedes aegypti) – uma das principais doenças tropicais negligenciada - indaga-se, neste projeto, se a associação entre mudança climática e clima urbano se fará acompanhar pela elevação dos casos de dengue, especialmente no contexto tropical da RMRJ. Para tanto, a presente pesquisa objetiva investigar a conformação atual do clima urbano das 21 (vinte e uma) cidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) e modelizar os cenários futuros em conformidade às perspectivas do IPCC (AR5/2013), utilizando para isto, dados do modelo Eta/HadGEM-ES associados à metodologia do SACDENGUE, desenvolvido pelo Laboratório de Climatologia da UFPR, que permitirá avaliar o risco climático atual e futuro de dengue na área de estudo. Ao mesmo tempo serão identificados e analisados os registros de casos de dengue e larvas do vetor que, ao serem correlacionados ao ritmo climático, projeção climática, tendências de uso e cobertura da terra e de urbanização, permitirão definir cenários para a dinâmica desta doença. Os resultados poderão contribuir para a construção de políticas públicas de controle da doença a partir de intervenções de mitigação e adaptação da sociedade (e do vetor da doença) aos cenários do clima urbano no âmbito das mudanças climáticas globais.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022