Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adonney Allan de Oliveira Veras

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolver uma plataforma web para melhorar a montagem e anotação de genomas de procariontos.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adria Ramos de Lyra

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • meninas digitais na baixada fluminense.
  • Atualmente, somente cerca de 10% dos ingressantes anuais no curso de Ciência da Computação da UFRRJ são meninas. Conforme reportagem do Jornal da USP de 07/03/2018, na década de 70 era comum que o número de alunas fosse maior do que o de estudantes do sexo masculino. Contudo, ainda de acordo com a reportagem, esta realidade se inverteu após a criação e popularização dos computadores pessoais, principalmente pelo fato de as ações de marketing serem dirigidas ao uso de computadores por homens. Este fenômeno vem sendo estudado, mas poucas evidências científicas concretas foram achadas. De toda forma, independentemente da(s) razão(ões) que tenham levado à redução do número de meninas nos cursos de Ciência da Computação, a baixa procura específica de estudantes do sexo feminino tem resultado em pouca representatividade do gênero nas decisões estratégicas de empresas, conselhos e governamentais. Como exemplo, podemos citar que é comum a diferença salarial entre profissionais da área de acordo com o seu gênero, assim como é de costume empresas contratarem profissionais através de terceirização (Pessoa Jurídica), sem direito a direitos específicos, como licença-maternidade.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/12/2018-31/05/2020
Foto de perfil

Adrian Antonio Garda

Ciências Biológicas

Zoologia
  • história da herpetofauna das formações abertas da américa do sul: evidências de filogeografia comparada e sequenciamento de nova geração
  • Outrora considerados biomas depauperados e com baixa diversidade, as formações abertas da América do Sul (Cerrado, Chaco e Caatinga) são hoje são reconhecidas como altamente diversas. Ainda assim, a história evolutiva dos biomas que compõe a chamada Diagonal de Formações Abertas (DFA) permanece uma incógnita. Trabalhos recentes expuseram padrões biogeográficos e filogeográficos e sugeriram processos para explicar a diversidade existente e a relação entre esses biomas. Todavia, tais hipóteses não foram testadas de maneira sistemática para qualquer um dos biomas ou para várias espécies em conjunto. Os objetivos do presente projeto são ampliar significativamente a cobertura de dados filogeográficos para a herpetofauna da DFA para testar 1) hipóteses a respeito da história evolutiva das espécies da Caatinga, 2) a relação das espécies desse bioma com as do Cerrado e do Chaco, e 3) delimitar as espécies válidas de acordo com a diversidade de linhagens recuperadas. Para tanto, utilizaremos 10 espécies da herpetofauna da DFA. Trabalhos tradicionais de filogeografia, atualmente em desenvolvimento por 7 estudantes de mestrado e doutorado testarão os efeitos das flutuações climáticas do Pleistoceno, de barreiras geográficas e da altitude e da hidrografia sobre a diversidade genética dessas espécies. Em seguida, esses dados em conjunto com os de quatro outras espécies de lagartos presentes na literatura totalizarão até 14 espécies que serão usadas para testar a hipótese de co-expansão por meio de uma metodologia nova desenvolvida pelo nosso grupo. Por último, testaremos se linhagens dos grupos Hypsiboas gr. raniceps, Dermatonotus muelleri, Polychrus acutirostris, Lygodactylus klugei, Proceratophrys cristiceps e Philodryas nattereri representam uma ou mais espécies, através da coleta de análise de dados de sequenciamento de nova geração.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Adriana Abalen Martins Dias

Ciências Biológicas

Genética
  • isolamento e caracterização de novos princípios ativos com ação antitumoral a partir do extrato do fungo trichoderma asperelloides
  • Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer é uma das principais causas de morbidade e mortalidade no mundo. Globalmente, quase 1 em 6 mortes são causadas por câncer, com um aumento esperado de cerca de 70% no número de casos nas próximas duas décadas. A taxa de envelhecimento da população, o crescente número de pessoas com sobrepeso ou obesas e hábitos como tabagismo, sedentarismo, consumo de álcool, dentre outros, contribuem para esse aumento. O impacto econômico dessa doença é muito significativo tanto em países ricos quanto em países de renda média e baixa. Embora a incidência de todos os tipos de cânceres seja quase duas vezes maior nos países desenvolvidos em comparação com países menos desenvolvidos, a taxa de mortalidade por essa doença nos países ricos é apenas 8% a 15% maior, evidenciando as diferenças relacionadas à disponibilidade de serviços de saúde para o diagnóstico e tratamento do câncer entre os países. O diagnóstico correto é determinante para a escolha da abordagem terapêutica a qual é determinante para o desfecho da doença. Cada tipo de tumor requer um protocolo de tratamento específico que pode incluir um ou mais procedimentos, como cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Na escolha do regime e modalidade de tratamento, a condição clínica e a resposta apresentada pelo paciente ao tratamento também são determinantes. Alguns tumores podem apresentar resistência ao tratamento e o paciente pode apresentar recidivas ou até mesmo não suportar os efeitos adversos. Portanto, tratamentos combinados são frequentemente utilizados e é imperativo ter opções de terapias quimioterápicas para aumentar as chances de sucesso no combate a essa doença. Assim, são relevantes os estudos que visam identificar novos princípios ativos com ação antitumoral que possam contribuir para o desenvolvimento de tratamentos mais efetivos com menores efeitos adversos. Princípios ativos têm sido isolados com sucesso de fontes naturais, como plantas e microorganismos. Trichoderma asperelloides é um fungo micoparasitário cosmopolita, heterotrófico e saprófito, envolvido no processo de reciclagem de nutrientes e na regulação da microbiota associada ao solo, e tem sido utilizado mundialmente, inclusive no Brasil, como biocontrole de fitopatógenos, substituindo o uso de fungicidas químicos. Princípios ativos com atividade microbicida, antiviral, imunomodulatória e antitumoral já foram isolados a partir do extrato de fungos do mesmo gênero (T. viride T. harzianum e T. asperellum). Há muito poucos estudos sobre T. asperelloides na literatura e nenhum relatando moléculas antitumorais derivadas deste fungo. Resultados preliminares do nosso grupo mostraram que o extrato etanólico de T. asperelloides foi citotóxico para células derivadas de adenocarcinoma mamário humano (MDA-MB-231 e MCF7) e murino (4T1). O extrato bruto foi fracionado por cromatografia líquida (HFLPC) e foi possível avaliar, por ensaios de viabilidade de MTT, que algumas frações apresentaram um índice de seletividade duas vezes maior (IS) para células tumorais em relação àquelas encontradas para fibroblastos humanos não-tumorigênicos (GM637). Os resultados preliminares obtidos por nosso grupo, e brevemente relatados aqui, indicam, de forma promissora, a existência de uma ação citotóxica relacionada ao extrato etanólico bruto de T. asperelloides e algumas de suas frações em células derivadas de tumor de mama humano e servem como base para o estudo que agora propomos. O objetivo deste projeto é isolar e caracterizar os princípios identificados nas frações do extrato etanólico do fungo T. asperelloides responsáveis ​​pela ação citotóxica contra células de adenocarcinoma mamário; identificar novos tipos de tumores susceptíveis à ação antitumoral do extrato bruto e frações isoladas do extrato de T. asperelloides; caracterizar os mecanismos de citotoxicidade e as vias de sinalização envolvidas nos efeitos biológicos observados. Nossos resultados podem apresentar nova (s) alternativa (s) de molécula (s) com atividade antitumoral, ampliando a gama de opções para o delineamento de tratamentos antitumorais multimodais.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022