Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Andreza Kalbusch

Engenharias

Engenharia Civil
  • investigação de fatores relacionados ao consumo de água no ambiente construído
  • Vide projeto anexo
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Andson Marreiros Balieiro

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • tecnologias e mecanismos de redes móveis sem fio de quinta geração (5g) para suporte a comunicação ultra confiável e com latência muito baixa (urllc)
  • A Quinta Geração (5G) de Redes Móveis sem fio é vislumbrada para prover conectividade para uma grande variedade de aplicações, entre as quais estão aquelas categorizadas como URLLC (Ultra-reliable and Low Latency Communication), tais como os carros autônomos, internet tátil e controle industrial. Elas apresentam requisitos estritos em termos latência, confiabilidade e disponibilidade, que não são possíveis de serem alcançados nas redes atuais e introduzem novos desafios no projeto das redes 5G. Diferentes tecnologias e mecanismos (ex. diversidade de frequência, virtualização de funções de rede, reserva de recurso) em diferentes camadas da pilha de protocolos e níveis arquiteturais tem sido propostos na literatura para prover suporte a URLLC em redes 5G. Entretanto, o impacto de tais propostas no atendimento aos requisitos de URLLC tem sido analisado isoladamente ou considerando uma camada/nível de arquitetura específica ou um subconjunto restrito delas. Desta forma, o efeito da combinação dessas abordagens com o intuito de atender os requisitos de URLLC ainda é desconhecido e precisa ser sistematicamente avaliado. Este projeto visa suprir esta lacuna através da identificação das principais tecnologias/mecanismos voltados para URLLC em redes 5G e o desenvolvimento de modelos analíticos e de simulação/experimentação que permitam analisá-las conjuntamente e sob diversos tipos de cenários. Assim, valiosos insights e suporte para a elaboração e avaliação de novas mecanismos/esquemas para URLLC em redes 5G são vislumbrados.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Andy Petroianu

Ciências da Saúde

Medicina
  • características das artérias hepáticas retiradas durante transplantes hepáticos e sua inluência em adversidades trans e pós-operatórias
  • INTRODUÇÃO: A aterosclerose é caracterizada pela formação de depósitos de gordura na parede vascular, obstruindo gradativamente sua luz. A literatura refere que a ingestão moderada de bebida alcoólica reduz a aterosclerose, por elevar os níveis de HDL modificar fatores de coagulação e prevenir alterações endoteliais. OBJETIVO: Comparar as características das artérias hepáticas de fígados retirados em procedimentos de transplante hepático, provenientes de pacientes que fizeram uso regular de bebida alcoólica e de pacientes sem passado alcoolista e relacionar essas características com adversidades trans e pós-operatórias. MÉTODO: Serão estudadas as artérias hepáticas de todos os fígados retirados de pacientes que foram submetidos a transplante hepático no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais e que estão guardadas no Departamento de Anatomia Patológica da Faculdade de Medicina dessa universidade. Serão realizados estudos histológicos e imuno-histoquímicos das paredes arteriais em busca de placas ateromatosas e outras alterações da parede arterial. Os prontuários de todos esses pacientes serão estudados para recolher os últimos dados laboratoriais pré-operatórios e as adversidades ocorridas com os pacientes nos períodos trans e pós-operatórios. Os resultados serão comparados entre o grupo de pacientes cujo transplante foi realizado por cirrose alcoólica e o grupo de pacientes que não ingeriram bebida alcoólica previamente.Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anelise Dias

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de agroecologia e produção orgânica para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar no estado do rio de janeiro
  • A Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo) tem por objetivo orientar ações para o desenvolvimento rural sustentável, priorizando a inclusão sócio produtiva de jovens e mulheres, a preservação e valorização da agro/sociobiodiversidade e fundamentalmente, a promoção da soberania e segurança alimentar e nutricional. A oferta de alimentos em atendimento à segurança alimentar e nutricional reside no desenvolvimento da gestão agroecológica para orientar sistemas agroalimentares mais sustentáveis. Em escala local, esses sistemas são dependentes de formas de produção e mecanismos diferenciados de comercialização, tendo como base de sustentação os circuitos de proximidade e a valorização de mercados locais. A presente proposta foi construída por equipe multidisciplinar e tem por finalidade fortalecer a produção familiar, a comercialização e o consumo local e consciente de alimentos orgânicos no estado do Rio de Janeiro através de ações integradas de ensino/ capacitação, pesquisa, extensão e gestão institucional. Pretende-se ampliar o número de agricultores beneficiados e a freqüência da Feira da Agricultura Familiar (FAF-Rural), assim como as aquisições de gêneros alimentícios pela modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para abastecer os Restaurantes Universitários dos Campi Seropédica e Nova Iguaçu da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Agricultores familiares locais, comunidades tradicionais, assentados da reforma agrária, mulheres e produtores orgânicos serão grupos prioritários em ambos os canais de comercialização. A FAF-Rural será fortalecida com a criação de identidade visual e como espaço de ensino e aprendizagem para estudantes e consumidores. Além disso, pretende-se capacitar duas agricultoras e uma técnica em viabilidade econômica e gestão democrática buscando a sustentabilidade desse empreendimento. Serão gerados relatórios de comercialização e indicadores sócio-econômicos que nortearão ações de ATER e pesquisa. Ações de ATER serão realizadas através da residência gronômica, pesquisas participativas para socialização de produtos/processos/práticas com enfoque agroecológico, bem como pelo intercâmbio de conhecimentos com agricultores. Serão realizadas aulas, oficinas, dias de campo, implantação de unidades demonstrativas e vivências. Serão capacitados técnicos, agricultores, e estudantes em temas relacionados à agroecologia, agricultura orgânica e segurança alimentar e nutricional. Serão conduzidas pesquisas sobre intersetorialidade de políticas públicas e canais de comercialização de produtos orgânicos. Indicadores de produção e de fatores limitantes serão levantados para proposição de estratégias contextualizadas para racionalização do uso de agrotóxicos e redução dos impactos sócio-ambientais da agricultura na Região Serrana - principal produtora de hortaliças do estado do Rio de Janeiro. Dentre os impactos da presente proposta para o fortalecimento da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica destacam-se a consolidação de políticas públicas de apoio à produção familiar, pesquisas/socialização e intercâmbio de conhecimentos para a produção e acesso a alimentos de qualidade com eqüidade, redução do uso de agroquímicos e estímulo à produção orgânica e a certificação participativa. Além disso, com novas perspectivas de comercialização e geração de renda em circuitos de proximidade, espera-se contribuir para a re-inserção e manutenção de categorias de agricultores vulneráveis e excluídos do mercado. Espera-se também estimular a permanência de jovens e mulheres na produção agrícola, aumento da consciência para o consumo consciente, valorização, e a visibilidade e integração dos agricultores familiares locais e a comunidade acadêmica.  
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 01/02/2018-31/10/2020
Foto de perfil

Anelise Grünfeld de Luca

Ciências Humanas

Educação
  • promoção de práticas investigativas na escola: valorizando a curiosidade e desenvolvendo o interesse pela ciência.
  • Vide projeto anexo
  • Instituto Federal Catarinense - SC - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Anete Abramowicz

Ciências Humanas

Educação
  • transnacionalismo e proposta curricular para a educação das relações étnico-raciais e da diferença no ensino.
  • A proposta apresentada pretende estabelecer uma rede transnacional de investigação entre pesquisadores e pesquisadoras brasileiras em parceria com instituições internacionais: Universidad Distrital Francisco José de Caldas (Colômbia), Georgia State University (EUA), Centro de Estudos sobre América Latina- CLAS/Stanford University, Université d´Orleans e Université Paris-Nanterre (França), que há algum tempo desenvolvem pesquisas em parceria com o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de São Carlos, com o Grupo de Pesquisa: estudos sobre a criança, a infância e a educação infantil: políticas e práticas da diferença, e com os/as pesquisadores/as que compõem a equipe desta proposta. O projeto que apresentamos objetiva, em uma primeira etapa, dar continuidade a pesquisa em curso que tem desenvolvido uma análise de contextos diferenciados de relações étnico-raciais estadunidense, colombiano, francês e brasileiro, no sentido de verificar como as universidades parceiras têm investigado a temática das relações étnico-raciais buscando identificar a maneira pela qual essas temáticas aparecem no ensino superior. Este projeto amplia a análise para verificar de que maneira estes temas aparecem na educação básica e no ensino médio. Pretende-se também, nesta primeira etapa, analisar se há confluências, entre o projeto que apresentamos com a Base curricular transnacional para os países do MERCOSUL, estudo realizado pelo Conselho Nacional de Educação/UNESCO e com outros currículos transnacionais. Desta forma, nesta primeira etapa, pretende-se identificar de que maneira a educação nos países envolvidos têm realizado mudanças e quais são elas, em sua estrutura formal, administrativa e normativa e quais pesquisas e ênfases têm sido produzidas na temática. Em uma segunda etapa, pretende-se elaborar uma proposta temática e curricular na perspectiva da diferença, particularmente, naquilo que se referem às relações étnico-raciais objetivando o combate ao racismo e às discriminações em diferentes contextos nacionais. Ao mesmo tempo, pretende-se como resultado disponibilizar materiais didáticos e paradidáticos, referências bibliográficas, documentário, repertório audiovisual e aulas no interior desta temática para que possam ser acessados em ambiente virtual, como um resultado piloto. O projeto tem como pressuposto epistemológico a construção da agência sob uma nova perspectiva e deste modo, exige outra base epistemológica e metodológica dos acontecimentos históricos, das linguagens, das artes, das ciências etc., de maneira a visibilizar os grupos que denominaremos minoritários e/ou subalternos (no decorrer da pesquisa pretendemos precisar tais conceitos), como, por exemplo, os negros, as crianças, os/as pobres, e aqueles/as que não fazem parte de grupos hegemônicos de gênero e sexualidade. Deste modo, o foco do projeto é construir referências teóricas de matrizes diversas de conhecimentos, de epistemologia e metodologia cuja centralidade seja a diferença para que se possa impactar e propor mudanças na educação das relações étnico-raciais e culturais. A metodologia da pesquisa é de natureza analítica e documental a partir dos pressupostos teóricos dos autores vinculados ao debate sobre a diferença. No interior da metodologia teremos uma pesquisa experimental ao disponibilizar como resultado uma proposta curricular transnacional, além de documentário e repertório audiovisual em um ambiente virtual de livre acesso. Procuraremos levar em conta na plataforma virtual à acessibilidade para a população surda, que terá tradução para Libras (Língua Brasileira de Sinais).
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anete Alberton

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • metodologias ativas e os estilos de aprendizagem e de decisão: aprendendo com jogos de empresas, casos para ensino e aprendizagem baseada em problemas
  • Os alunos aprendem quando os conteúdos são expostos junto as suas necessidades e objetivos pessoais (KOLB, RUBIN, McINTYRE, 1978); como existem objetivos pessoais, estes são inerentes ao indivíduo, no caso o aluno, o que determina a ele um estilo de aprendizagem. Conhecer os diversos estilos de aprendizagem, bem como os estilos de decisão, dos alunos tende a melhorar o processo de ensino-aprendizagem, possibilitando que as técnicas e métodos de ensino sejam direcionados ao perfil dos alunos, podendo desta forma, estimular o desenvolvimento de competências. O estilo de aprendizagem refere-se a uma situação contínua e que deriva das formas de troca do indivíduo com o meio no qual está inserido (KOLB, 1984) e o estilo de decisão é o modo como o indivíduo compreende e processa as informações referentes ao processo de tomada de decisão (LEONARD; SCHOLL; KOWALSKI, 1999; PENNINNO, 2002). Esta pesquisa está vinculada a outros projetos já executados pela proponente, com ampliação do foco (três metodologias ativas, três IES e ambos, estilos de aprendizagem e de decisão). O objetivo principal é analisar os estilos de aprendizagem e de decisão e sua relação com a utilização de metodologias ativas de aprendizagem (casos para ensino – inclusive multimídia, jogos de empresas e aprendizagem baseada em problemas) em cursos de gestão. Para alcançar esse objetivo, será realizado um estudo de abordagem quantitativa e qualitativa, com a utilização do método survey e focus group. Quanto a coleta de dados, será aplicado um questionário, composto de cinco blocos: inventário de estilo de aprendizagem (KOLB, 1984), inventário de estilo de decisão (ROWE; MASON, 1987), instrumento de skill acquisiton (MILES; BIGS; SCHUBERT,1986; JENNINGS,1996; 2002; CHANG; 2003; CHANG et al, 2005; ADOBOR; DANESHFAR; 2006), instrumento de ambiente virtual de aprendizagem (adaptado de DAVIS, 1985, 1989) e as características gerais dos discentes pesquisados. A população deste estudo será composta por discentes matriculados em cursos de graduação de gestão de três universidades localizadas em Santa Catarina e que frequentam disciplinas que utilizam as metodologias ativas em análise. Com relação as análises dos dados, pretende-se realizar uma análise descritiva do perfil dos discentes, e utilizar os métodos uni e multivariados, como análise fatorial confirmatória tendo como base o sistema de aprendizagem em ação de Silva (2016). Esta pesquisa contribui para que professores saibam que ao utilizar determinado método poderão privilegiar alunos com distintos estilos de aprendizagem e decisão, bem como, estimular outros estilos a desenvolver competências a partir das metodologias ativas utilizadas.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Anete Trajman

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • diagnóstico auxiliado por computador para exclusão de tuberculose ativa em contatos de pacientes com tuberculose pulmonar – quebrando a cadeia de transmissão
  • Apesar de evitável e curável, a tuberculose (TB) ainda é a principal causa de morte por um único agente infeccioso no mundo.(1) Diferentes estratégias para aumentar a detecção da TB e a conclusão do tratamento nas últimas duas décadas não permitiram atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para incidência de TB e declínio da mortalidade. A OMS(2) e as Nações Unidas(3) têm agora metas específicas para eliminar a TB até 2050 (End TB Strategy), e o tratamento preventivo da TB (TPT) desempenha um papel estratégico para atingir essas metas.(4) A prevenção da TB ativa através do tratamento da infecção latente por Mycobaterium tuberculosis (ILTB) é uma pedra angular para alcançar a eliminação da TB.(5) A ILTB afeta cerca de 25% da população mundial(6) e aqueles com alto risco de progressão para TB ativa, como pacientes com condições imunossupressoras ou com infecção recente, devem ser tratados para prevenir adoecimento. Os contatos de pacientes com TB pulmonar ativa são a maior população existente direcionada ao tratamento com ILTB. A declaração das Nações Unidas de 2018 recomenda tratar, até 2022, 6 milhões de pessoas vivendo com HIV (PVH), 4 milhões de contatos de crianças e 20 milhões de contatos de adultos de pacientes com tuberculose ativa.(7) Isso não é uma tarefa fácil, porque a cascata do cuidado com os contatos inclui várias etapas, desde o teste da ILTB, a exclusão da TB ativa e a prescrição e adesão ao tratamento. Muitas perdas ocorrem em todas as etapas dessa cascata, e menos de 20% daqueles destinados ao tratamento completam o TPT.(8) No Brasil, menos de 2% completam o TPT, com as maiores perdas nos estágios iniciais da cascata.(9) O passo da exclusão da TB ativa é um gargalo em muitos países de baixa e média renda (LMIC, da sigla em inglês), incluindo o Brasil. Atualmente, a OMS(4) e o Ministério da Saúde do Brasil(10) recomendam a triagem de sintomas e a radiografia de tórax (RxT). O risco de adoecimento é tão alto nas PVH e em crianças com menos de 5 anos de idade que a OMS recomenda que em países de alta carga da doença (todos LMIC), essa etapa possa ser pulada nessas duas subpopulações. O Brasil, no entanto, recomenda RxT em todos os contatos antes que o TPT possa ser prescrito.(10) A indisponibilidade da RxT e a necessidade de especialistas para interpretar os resultados atrasam ou impedem a exclusão da TB e portanto o início do TPT. Alterações do parênquima pulmonar por doenças que não TB ativa incluem sequelas de TB (fibrose, bronquiectasias, cavidades, calcificações), doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonias agudas, tumores, adenomegalias entre outras. Diversas imagens pulmonares que aparecem nos pacientes com a COVID-19, que recentemente atingiu já milhares de pessoas no planeta e pode acometer mais de metade da população, mesmo sem provocar sintomas, podem permanecer como sequela pulmonar, dificultando ainda mais a interpretação da RxT. Aplicativos que utilizam inteligência artificial foram desenvolvidos para superar essa barreira.(11–13) Nossa equipe tem trabalhado em estratégias para simplificar a cascata de atendimento de contatos e PLH para expandir o TPT nos LMIC. Anteriormente, trabalhamos em um novo teste baseado em soro para excluir TB, que apresentou um elevado valor preditivo negativo.(14) No projeto atual, pretendemos validar e desenvolver aplicativos para ler RxT de contatos e distinguir (a) padrões normais; (b) lesões parenquimatosas não relacionadas à TB e (c) lesões ativas da TB. O aplicativo desenvolvido pelo grupo será disponibilizado para incorporação no SUS, sem custos. Isso permitiria a exclusão no mesmo dia da TB ativa e a possibilidade de prescrição de TPR. Para isso, trabalharemos com uma equipe multidisciplinar que incluirá especialistas em TB, saúde pública e engenheiros especializados em inteligência artificial. Para aprendizado de máquina, usaremos um banco de dados RxT normal, de participantes de dois ensaios clínicos de diferentes regimes para tratar LTBI(15,16) e bancos de dados disponíveis publicamente de múltiplos RxT com e sem TB.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 20/06/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Angel Roberto Barchuk

Ciências Biológicas

Genética
  • redes de expressão gênica responsáveis pela plasticidade do desenvolvimento cerebral em resposta a diferenciais nutricionais – o modelo apis mellifera
  • O desenvolvimento de características complexas é influenciado por sinais ambientais cujos diferentes inputs são integrados no sistema genômico através da participação de mediadores epigenéticos. Na abelha altamente social Apis mellifera, diferenciais nutricionais durante o desenvolvimento pós-embrionário conduzem ao surgimento de fêmeas adultas fenotipicamente diferentes, conhecidas como rainhas e operárias. Um dos eventos que definem este difenismo é o desenvolvimento do cérebro larval. Nosso grupo mostrou que as larvas de rainhas, que são alimentadas com grandes quantidades de geleia real, desenvolvem um cérebro maior e mais rapidamente do que as de operárias, e que este desenvolvimento diferencial acontece a partir do quarto estágio larval (L4). Estes resultados mostram que o diferencial nutricional favorável às rainhas determina o desenvolvimento diferencial do sistema nervoso. Porém, hipotetizamos que as diferenças morfológicas encontradas em L4 devem ser determinadas molecularmente em estágios larvais anteriores. Esta determinação inicial estaria representada pela interação entre os produtos de vários genes, na forma de uma rede de expressão que responde ao diferencial nutricional, responsável pela geração de diferenciações morfológicas observadas em estágios seguintes. Assim, propomos identificar no cérebro de L3 genes que respondam ao diferencial nutricional e sejam responsáveis pelo difenismo cerebral inicial destas castas. Para isso, usando RNA-Seq, obteremos os transcriptomas e genes diferencialmente expressos de cérebros L3 de rainhas e operárias. Com esses dados e os disponíveis sobre microRNAs (presentes nas geleias real e de operárias e os conhecidamente associados a processos neurogênicos) elaboraremos redes complexas conceituais de interação gênica. Estas redes serão testadas mediante duas abordagens, i. Descritiva: RT-qPCR e imunolocalização de produtos proteicos; ii. Funcional: Ensaios in vitro de interação microRNA-mRNA alvo usando construções com o gene da luciferase como repórter e ensaios in vivo utilizando antagomirs na dieta de larvas em desenvolvimento.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângela Adriane Schmidt Bersch

Ciências Humanas

Educação
  • a corporeidade e a ludicidade nas infâncias
  • O projeto de pesquisa objetiva identificar os papéis dos educadores na mediação das infâncias em contextos ecológicos microssistêmicos; estabelecer a relação com a perspectiva sistêmica na formação de educadores ambientais; investigar a cultura corporal, o movimento lúdico e a corporeidade nas e com as infâncias em diferentes contextos formais e não formaisdo município de Rio Grande e região. Nossa aposta é que através da práxis entre e com os educadores nos momentos formativos possamos escutar as inquietações, as angústias, as certezas, as expectativas para que assim, possamos criar um questionário semi-estruturado pelos e com os apontamentos dos educadores das infâncias, seguido de entrevista reflexiva. E na sucessão será organizado uma formação com os educadores para assim, poder dar um retorno e ao mesmo tempo pela oportunidade de vivenciar as experiências com eles. Este processo é o resultado esperados com a pesquisa, ou seja, um espaço para compartilhar, escutar, identificar os papéis dos educadores, investigar a cultura corporal, o movimento corporal lúdico nas infâncias e a corporeidade.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022