COSAU | MS - Educação Física, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Tererapia Ocupacional

Ciências da Vida

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento - CA-MS

Vigência: 2015 a 2017

 

1. Normas gerais:

a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior, no caso dos níveis 1A-D.

b) Os critérios incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação ou participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica e atividades técnicas de relevância inequívoca para a área. 

c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica, incluindo índice de citação da produção,  de acordo com critérios nacionais e internacionais.

d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq. 

 

2. Requisitos mínimos para os diferentes níveis

Serão priorizadas as solicitações de pesquisadores com formação nas áreas do comitê e vínculo institucional em unidades, departamentos ou programas específicos das áreas ou com clara vinculação a elas.

A avaliação global do pesquisador será realizada mediante a análise da formação e experiência profissional e do equilíbrio entre a formação de recursos humanos e a produção científica.

 

2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2 

Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá - além de ter concluído o doutorado há, no mínimo 3 anos - satisfazer os seguintes requisitos no quinquênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 8 (oito) trabalhos em periódicos científicos com indexação mínima SciELO, sendo que pelo menos 3 (três) desses trabalhos devem ter sido publicados em periódicos ISI e em pelo menos 3 (três) dos trabalhos, o pesquisador deverá ser o autor principal ou o orientador (último/segundo autor);

b) ter concluído a orientação de pelo menos 2 (dois) mestres em programa credenciado pela CAPES;

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de mestrandos ou doutorandos em programa credenciado pela CAPES;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc, e

e) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria

 

2.2. Critérios de acesso ao nível 1D: 

Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá - além de ter concluído o doutorado há, no mínimo 8 (oito) anos - satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 15 (quinze) trabalhos em periódicos científicos com indexação mínima SciELO, sendo que pelo menos 8 (oito) desses trabalhos devem ter sido publicados em periódicos ISI e, em pelo menos 8 (oito) deles, o pesquisador deve ser o autor principal ou o orientador (último/segundo autor);

b) ter concluído a orientação de pelo menos 5 mestres ou doutores, sendo pelo menos 1 (um) doutor, em programa credenciado pela CAPES;

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 3 mestres ou doutores, em programa credenciado pela CAPES;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc; 

e) ter histórico recente de projeto de pesquisa financiado por agencia de fomento pública ou privada, e

f) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas nesta categoria.

 

2.3. Critérios para progressão aos níveis 1C, 1B e 1A: 

Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos, no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos com indexação mínima Scielo, sendo que pelo menos 15 (quinze) desses trabalhos devem ter sido publicados em periódicos ISI e, em pelo menos 15 (quinze) desses, o pesquisador deve ser o autor principal ou o orientador (último/segundo autor);

b) ter concluído a orientação de pelo menos 8 (oito) mestres ou doutores, sendo no mínimo 2 (dois) doutores, em programa credenciado pela CAPES; 

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de 3 (três) alunos entre mestres e doutores em programa credenciado pela CAPES; 

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

e) evidenciar regularidade na obtenção de apoio financeiro a seus projetos de pesquisa, e

f) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

 

2.4. Critério adicional para progressão ao nível 1A:

a) Para progressão ao nível 1A, o pesquisador deverá ter reconhecimento de notória liderança científica

 

3. Comparações entre os pares da demanda

A avaliação global do pesquisador será realizada mediante a análise da formação, da contribuição para a área, da experiência profissional e do equilíbrio entre a formação de recursos humanos e a produção científica. Para fins de desempate, a quantidade e qualidade de produtos no período avaliado e o número de teses de doutorado concluídas na condição de orientador são os dois primeiros critérios. O comitê deverá estabelecer o peso de cada quesito que compõem a pontuação final dos pesquisadores e o critério utilizado deverá constar no documento de área e estar disponível a todos os pesquisadores.

 

4. Reconhecimento de Notória Liderança Científica:  

O reconhecimento de notória liderança científica é condição necessária para a concessão de bolsas PQ 1A. Além disso, esse reconhecimento poderá ser utilizado como critérios adicionais de comparação entre pares para os outros níveis. Esse reconhecimento de notória liderança leva em consideração a contribuição inequívoca para a área, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação ou de um marco teórico reconhecido e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência por parte do candidato. Na caracterização deste reconhecimento serão considerados os seguintes critérios:

1. Produção científica da carreira;

2. Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se critérios qualitativos e quantitativos;

3. Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação;

4. Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;

5. Nucleação de grupos de pesquisa;

6. Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração em agências de fomento, órgãos de divulgação científica reconhecidos e em instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

Nota: A concessão desse reconhecimento deverá obrigatoriamente ser apoiada por pelo menos 2/3 dos membros do CA.