COGEC | EL - Ecologia e Limnologia

Ciências da Vida

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento - CA-EL

Vigência: 2015 a 2017

1. Normas gerais:

a) O desempenho do pesquisador, para fins de comparações entre proponentes da demanda, é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2 e do decênio anterior no caso do nível 1 (D-A);

b) Os critérios incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação ou participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica;

c) A avaliação enfatiza a qualidade e a regularidade da produção científica e tecnológica, de acordo com critérios internacionais;

d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq:

Critérios utilizados, conforme estabelece a RN 016/2006, para atribuição de prioridade:

a) mérito científico do projeto;

b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato;

c) formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;

d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes;

e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

f) inserção internacional do proponente;

g) participação como editor científico;

h) participação em atividades de gestão científica e acadêmica.

 

2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2

Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para concorrer neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos eliminatórios no quinquênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 10 (dez) trabalhos científicos em periódicos científicos, constantes na relação do Qualis/CAPES da Área de Biodiversidade nos níveis A1, A2, B1, B2 e B3 e B4; e índice "h" igual ou superior a 4 (quatro, sensu Web of Science).

b) ter concluído a orientação (como orientador principal) de pelo menos 2 (dois) mestres;

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação (como orientador principal) de mestrandos ou doutorandos. Isso deve vir explicito no CV Lates;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico na área de ecologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

e) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

2.2. Critérios de acesso ao nível 1D:

Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior (a classificação final será baseada na comparação entre os pares na demanda, ver item 3):

a) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos, constantes na relação do Qualis/CAPES da Área de Biodiversidade nos níveis A1, A2, B1, B2, B3 e B4; e índice "h" igual ou superior a 6 (seis, sensu Web of Science).

b) ter concluído a orientação de pelo menos 5 (cinco) alunos de pós-graduação (strictu sensu) como orientador principal, sendo ao menos 1 (um) doutor;

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação (como orientador principal) de pelo menos um (01)  doutorando ou  dois (02) mestrandos. Isso deve vir explicito no CV Lates;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico na área de ecologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

e) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas e suas respectivas bolsas-prêmio.

 

2.3. Critérios para progressão os níveis 1C, 1B e 1A:

Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos, no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 30 (trinta) trabalhos em periódicos científicos, constantes na relação do Qualis/CAPES nos níveis A1, A2, B1, B2 e B3; entre esses trabalhos, pelo menos 15 (quinze) devem constar do extrato A1, A2 e B1; e índice "h" igual ou superior a 6 (seis, sensu Web of Science).

b) ter concluído a orientação de pelo menos 15 (quinze) alunos de pós-graduação (strictu sensucomo orientador principal, sendo pelo menos 3 (três) de doutorado;

c) estar em atividade de pesquisa e de orientação (como orientador principal) de um (01) doutorando ou  pós-doutor e dois (02) mestrandos. Isso deve vir explicito no CV Lates;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico na área de ecologia, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

e) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

 

3. Comparações entre os pares da demanda:

O CA-EL utilizará os seguintes percentuais e quesitos para pontuar cada atribuir a nota final e prioridade das propostas apresentadas:

  •  mérito científico do projeto: 10 %
  •  relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato (incluindo contribuição científica, tecnológica e de inovação, patentes): 40%
  •  formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação: 25%
  •  coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa; para os níveis 1A a 1 D serão pontuadas as experiências em  coordenação de projetos ou redes, para o nível 2 será pontuada a  participação em projetos: 10%
  •  inserção internacional do proponente; 7%
  •  participação como editor científico; 3%
  •  participação em atividades de gestão científica e acadêmica 5%

Os percentuais em parênteses representam peso de cada item (para notas de 0 a 10) na avaliação geral do candidato que será adotado pelo CA-EL para o biênio 2015-2017.

Os pesos para a análise de orientação serão os seguintes: número de teses de doutorado concluídas, peso 12; b) número de teses de mestrado concluídas, peso 9; c) número de supervisões de pós-doutoramento, peso 4; d) número de orientações de inciação científica, peso 2;

Os pesos para a análise de produção científica serão os seguintes: a) número de artigos publicados em revistas de categoria A1, peso 100; b) número de artigos publicados em revistas de categoria A2, peso 85; c) número de artigos publicados em revistas de categoria B1, peso 70; d) número de artigos publicados em revistas de categoria B2, peso 55; e) número de artigos publicados em revistas de categoria B3, peso 40; f) número de artigos publicados em revistas de categoria B4, peso 25; g) número de capítulos de livros, peso 2; h) número de livros publicados, peso 6; i) organização de obras, peso 6.

As notas dos projetos serão baseadas nos conceitos emitidos pelos pareceristas e quantificados da maneira que segue: Excelente=10; Bom=8; Médio=6; Regular=4 e Fraco=2. A média dos conceitos será utilizada como nota do projeto. Em casos de pareceres não conclusivos ou muito divergentes, um parecer do projeto emitido por um dos membros do comitê será adicionado.

Nas propostas em que o projeto teve mérito científico e adesão a área de ecologia, com base na oferta de cotas de bolsas/nível disponibilizadas pelo CNPq, serão utilizados como parâmetros de desempate para todas as Categorias/Níveis, os seguintes critérios, na seguinte ordem de prioridade:

1. Número de publicações e índice de impacto dos respectivos periódicos científicos publicados em periódicos constante na relação do Qualis/CAPES da Área de Biodiversidade nos extratos A1, A2, B1, B2, B3 e B4. Os pesos atribuídos a cada extrato serão os mesmos utilizados para avaliação dos programas de pós-graduação da Área de Biodiversidade;

2. Número de teses de doutorado orientadas e concluídas (somente serão consideradas as orientações concluídas inseridas no Lattes)  como orientador principal;

3. Número de dissertações de mestrado orientadas e concluídas (somente serão consideradas as orientações concluídas inseridas no Lattes), como orientador principal;

4. Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação da bolsa PQ, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

5. Número de Pós-Doutores supervisionados;

6. Número de orientações de Doutorado em andamento;

7. Número de orientações de Mestrado em andamento;

8. Número de orientações concluídas de bolsistas de Iniciação Científica do CNPq, Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e outras entidades equivalentes.

9. Nucleação de grupos de pesquisa.