COGEC | BO - Botânica

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento - CA-BOTÂNICA

Vigência: 2015 a 2017

 

1. Normas gerais

a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior, no caso dos níveis 1D a 1A. As bolsas são distribuídas entre as subáreas da Botânica (Botânica Aplicada, Fisiologia Vegetal, Morfologia Vegetal e Taxonomia Vegetal) de forma proporcional à demanda qualificada de pesquisadores de cada subárea candidatando-se na chamada, de modo a manter a representatividade e o equilíbrio de desenvolvimento entre elas.

b) Os critérios incluem produção científica (quantidade, qualidade, impacto), formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, participação em atividades editoriais e de gestão científica, coordenação e/ou participação em projetos de pesquisa, liderança, administração e nucleação de grupos de pesquisa.

c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com critérios internacionais, conforme identificados abaixo.

 

d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas de Produtividade em Pesquisa (PQ) disponibilizadas pelo CNPq.

É fundamental que o proponente preencha corretamente o currículo Lattes. Devem ser utilizadas as ferramentas disponíveis na Plataforma Lattes, tais como a inclusão do DOI (Digital Object Identifier) ou ISSN nas publicações e verificação de uniformização dos dados com outras bases bibliográficas e tecnológicas. O resgate dos fatores de impacto das publicações e outros índices são obtidos através de recursos de informática. Neste sentido, recomendamos que o CV Lattes seja detalhadamente conferido e atualizado dentro do prazo estipulado pelo CNPq. Recomenda-se também que as pessoas sob supervisão de cada pesquisador, especialmente estudantes de pós-graduação e pós-doutorandos, mantenham sempre seus CVs Lattes atualizados.

 

Critérios utilizados, conforme estabelece a RN 016/2006, para atribuição de prioridade

a) mérito científico do projeto;

b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato;

c) formação de recursos humanos em nível de pós-graduação;

d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes;

e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

f) inserção internacional do proponente;

g) participação como editor científico;

h) participação em atividades de gestão científica e acadêmica.

Os itens d até h serão utilizados principalmente nos casos dos níveis 1A e 1B, bem como para eventuais desempates entre candidatos.

2. Requisitos mínimos para os diferentes níveis

As quantificações apresentadas abaixo buscam refletir o cenário geral da produção científica e da formação de recursos humanos por nível dos bolsistas PQ da Botânica vigentes até fevereiro de 2017.

2.1. Requisitos mínimos para enquadramento no Nível 2

Para concorrer neste nível, o pesquisador deverá satisfazer aos seguintes requisitos eliminatórios mínimos no quinquênio anterior:

a) ter pelo menos dez publicações em periódicos de reconhecido mérito científico, sendo pelo menos oito publicados em periódicos indexados em bancos de referência internacional e nacional (Web of Science¿ [incluídos no JCR ¿ Journal Citation Reports®], SCOPUS e SCIELO). Ter pelo menos 15 artigos publicados em toda a carreira, sendo pelo menos 12 deles publicados em periódicos indexados em bancos de referência internacional e nacional (Web of Science [incluídos no JCR], SCOPUS e SCIELO);

b) estar orientando, como orientador principal, pelo menos um aluno de pós-graduação em nível de mestrado ou doutorado.

Obs. 1: para candidatos que já estejam ou tenham estado no sistema como bolsista PQ, a nova solicitação ao CNPq deverá ainda incluir pelo menos uma orientação concluída de mestrado ou doutorado.

Obs. 2: para pesquisadores vinculados a instituições de pesquisa onde não há programas de pós-graduação serão avaliados o número e a qualidade das publicações em periódicos científicos, que poderão compensar a ausência ou baixo número de orientações.

c) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto com mérito científico, conforme avaliação dos consultores ad hoc e/ou do CA-BO;

d) atingir classificação compatível na demanda com o número de bolsas disponíveis nesta categoria.

2.2. Critérios de acesso ao nível 1D

Para ser classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

a) ter pelo menos 25 publicações em periódicos de reconhecido mérito científico, sendo pelo menos 20 publicados em periódicos indexados em bancos de referência internacional e nacional (Web of Science [incluídos no JCR], SCOPUS e SCIELO), devendo refletir a linha de pesquisa desenvolvida pelo pesquisador e o projeto submetido. Ter pelo menos 30 artigos publicados em toda a carreira, sendo pelo menos 24 deles publicados em periódicos indexados em bancos de referência internacional e nacional (Web of Science [incluídos no JCR], SCOPUS e SCIELO), devendo refletir a linha de pesquisa desenvolvida pelo pesquisador e o projeto submetido;

b) ter concluído, como orientador principal, a orientação de 5 alunos de pós-graduação em nível de mestrado e/ou doutorado;

Obs.: para pesquisadores vinculados a instituições de pesquisa serão avaliados o número e a qualidade das publicações em periódicos científicos, que poderão compensar a ausência ou baixo número de orientações.

c) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto com mérito técnico-científico, conforme avaliação dos consultores ad hoc e do CA-BO;

d) atingir classificação compatível na demanda com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

e) demonstrar capacidade de obtenção de recursos financeiros junto às instituições de fomento do Brasil e/ou do exterior.

2.3. Critérios de acesso aos níveis 1C, 1B e 1A

Para ser classificado nestes níveis, o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos:

a) ter publicado 35 artigos científicos no decênio anterior e:

- para o nível 1C, é necessária a publicação de pelo menos 50 artigos científicos em toda a carreira, dos quais pelo menos 37 em periódicos indexados;

- para o nível 1B, é necessária a publicação de pelo menos 65 artigos científicos em toda a carreira, dos quais pelo menos 48 em periódicos indexados;

- para o nível 1A, é necessária a publicação de pelo menos 80 artigos científicos em toda a carreira, dos quais pelo menos 60 em periódicos indexados.

Obs. Serão considerados como indexados os periódicos presentes nos bancos de referência do Web of Science (incluídos no JCR), SCOPUS e SCIELO, devendo refletir a linha de pesquisa desenvolvida pelo pesquisador;

b) ter concluído orientações de pós-graduação:

- Para o nível 1C, ter totalizado na carteira, como orientador principal, o mínimo de sete alunos de pós-graduação (stricto sensu), sendo pelo menos três de doutorado;

- Para o nível 1B, ter totalizado na carteira, como orientador principal, o mínimo de 12 alunos de pós-graduação (stricto sensu), sendo pelo menos cinco de doutorado;

- Para o nível 1A, ter totalizado na carteira, como orientador principal, pelo menos 15 alunos de pós-graduação (stricto sensu), sendo pelo menos sete de doutorado;

Obs.: para pesquisadores vinculados a instituições de pesquisa serão avaliados o número e a qualidade das publicações em periódicos científicos, que poderão compensar a ausência ou baixo número de orientações.

c) ter concluído supervisão de pós-doutores no decênio;

d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

e) haver disponibilidade de cota de bolsa na categoria solicitada ou indicada pelo CA-BO.

 

3. Comparações entre os pares da demanda

Nas propostas em que haja mérito científico do projeto e com base nas cotas de bolsas/nível disponibilizadas pelo CNPq, serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate para todas as Categorias/Níveis, todos os itens a seguir:

3.1. Produção científica especializada na área

Serão considerados os seguintes aspectos: inserção internacional (publicação em periódicos da base Web of Science e incluídos no JCR), impacto para área (citações), autoria e co-autoria.

Obs.1: Os Fatores de Impacto (FI - Thomson Reuters - JCR) mais recentes disponíveis ao CNPq das revistas utilizadas pelos pesquisadores para publicação serão o referencial utilizado.

Obs. 2: Para efeito de cálculo da qualidade do periódico, o FI definido pela Thomson Reuters e publicado no JCR será utilizado de forma ponderada de acordo com o ranking abaixo.

Ranking por FI (valor do FI no JCR do ano em análise):

A: ¿10,000: 150 pontos

B: 2,500-9,999: 100 pontos

C: 2,000-2,499: 85 pontos

D: 1,500-1,999: 70 pontos

E: 1,000-1,499: 55 pontos

F: 0,500-0,999: 40 pontos

G: 0,001-0,499: 25 pontos

H: zero de FI (mas sendo da área e estando no Web of Science): 10 pontos

I: zero de FI ou em periódico fora da área de Botânica: 2 pontos

3.2. Formação de pessoal

Durante o quinquênio (nível 2) ou decênio (nível 1) anterior, será computado o número de dissertações de Mestrado e teses de Doutorado orientadas, e o número de supervisões de pós-doutores concluídas;

Obs. 1: Para as orientações em programas de pós-graduação stricto sensu os pesos são atribuídos conforme o nível: doutorado = 2, mestrado = 1 e pós-doutorado = 0,5.

Obs. 2: A média final ponderada da avaliação quali-quantitativa da produção científica e formação de pessoal obedece ao peso de 60% dos pontos obtidos no ranking por FI (no decênio ou quinquênio, respectivamente para bolsas de nível 1 ou 2) + peso de 40% da soma dos valores das orientações concluídas em programas de pós-graduação (no decênio ou quinquênio, respectivamente para bolsas de nível 1 ou 2) e supervisão de pós-doutorado.

3.3. Publicação, organização e/ou editoração de livros e capítulos de livros relevantes para a área, publicados por editoras tradicionais e reconhecidas pela comunidade científica.

3.4. Atividade editorial junto a periódicos indexados em bancos de referência internacional e nacional (Web of Science [incluídos no JCR], SCOPUS e SCIELO);

3.5. Nucleação de grupos de pesquisa;

3.6. Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica;

3.7. Número de citações recebidas pela base Web of Science;

3.8. Índice H;

3.9. Distinções e Prêmios recebidos de relevância Internacional e/ou Nacional;

3.10. Capacidade de obtenção de recursos junto a agências de fomento do Brasil e exterior;

3.11. Patentes;

3.12. Internacionalização;

3.13. Reconhecimento de Notória Liderança Científica.

Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência.

Obs.1: Os critérios acima são aplicados a todos pedidos de bolsas, sejam solicitações novas ou de bolsistas vigentes, quando poderão ocorrer reclassificações dos níveis para cima ou para baixo.

Obs.2: a concessão de excepcionalidade deverá ser apoiada, obrigatoriamente, por pelo menos 2/3 dos membros do CA-BO.

Para os cálculos de indicadores quantitativos serão utilizados:

- Os bancos da plataforma Lattes do CNPq;

- O banco de publicações ¿ Web of Science;

- O banco de publicações Scopus;

- O banco de publicações Scielo.