COBIO | MP - Microbiologia e Parasitologia

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento de Bolsas PQ - CA-MP

Vigência: 2018-2020

1. Normas Gerais do CA-MP:

Os critérios e normas específicas do CA-MP se baseiam no disposto

na Resolução Normativa 028 (RN-028/2015) " Bolsas no País - Publicada

no Diário Oficial da União em 21/12/15, Seção 1, pág. 45.

O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores

referentes ao decênio anterior, no caso da categoria 1 (PQ 1), e ao

quinquênio anterior, no caso da categoria 2 (PQ 2), mais o ano em curso.

A solicitação de bolsa de pesquisa (PQ) deve vir instruída de projeto

de pesquisa e avaliação crítica da produção, com texto total limitado a

10.000 palavras (excluídas tabelas, gráficos, figuras e esquemas),

constituído de duas seções:

(i) Uma versão RESUMIDA do projeto de pesquisa contendo:

resumo, exposição sucinta do problema, objetivos gerais e

específicos, metodologia, financiamentos existentes e

referências principais;

(ii) Avaliação crítica e RESUMIDA da produtividade científica

(publicações) e acadêmica (formação de Recursos Humanos)

alcançada nos últimos 5 (categoria 2) ou 10 anos (categoria 1),

destacando, com justificativa resumida, as três mais

importantes contribuições científicas e respectivas publicações

(informando DOI). Listar para o período de avaliação, as

publicações que fez como primeiro ou último autor e como

autor correspondente (vide nota explicativa nos itens 3.3 e

5.4). Deverá também fornecer informações a respeito de

eventuais auxílios financeiros (públicos ou privados) obtidos

no último qüinqüênio ou decênio para desenvolver suas

pesquisas (vide itens 3.6 e 5.7). Informar sobre cada auxílio

obtido:

a) se é coordenador ou colaborador;

b) título do projeto;

c) número do processo e nome da instituição de fomento;

d) prazo de vigência;

e) valores dos recursos

financeiros concedidos.

A ausência ou insuficiência de quaisquer informações previstas nas

alíneas "i" ou "ii" poderá prejudicar a análise da proposta pelo CA-MP,

podendo resultar na sua não recomendação.

O atendimento aos requisitos mínimos não garante a concessão da

bolsa, considerando a disponibilidade de recursos e o processo de

classificação após avaliação comparativa.

De acordo com a RN028/2015, item 3.4, a avaliação das propostas

deve ser baseada em alguns critérios fundamentais:

a) mérito científico do projeto;

b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do

candidato;

c) formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;

d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo

patentes;

e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

f) inserção internacional do proponente;

g) participação como editor científico;

h) participação em atividades de gestão científica e acadêmica.

Ainda de acordo com a RN028/2015, item 3.5, quando pertinentes,

serão considerados na análise:

a) foco nos grandes problemas nacionais;

b) abordagens multi e transdisciplinares;

c) impacto social;

d) comunicação com a sociedade;

e) interação com o parque produtivo; e

f) conservação ambiental.

3. Requisitos mínimos para bolsa PQ na categoria 2

Para ingresso como PQ do CNPq, serão considerados os seguintes

requisitos mínimos:

3.1. Título de Doutor obtido em período igual ou superior a 3 (três)

anos, conforme previsto em Chamada específica.

3.2. Ter publicado nos últimos 5 (cinco) anos, pelo menos 5 (cinco)

artigos em periódicos científicos, com fator de impacto igual ou superior a

2,0.

3.3. Ser o autor responsável em pelo menos 3 (três) desses artigos,

sendo necessariamente autor correspondente em pelo menos 1 (um) artigo.

Nota: Espera-se que o candidato demonstre liderança e certa

autonomia, sendo autor de publicações, com significativa responsabilidade,

indicado pela posição na lista de autores, como primeiro, último ou autor

correspondente. Recomenda-se que o candidato(a) destaque este informe na

"avaliação crítica da produção científica" (alínea "ii", item 1, Normas

Gerais).

3.4. Ter concluído a orientação de uma dissertação de mestrado ou

tese de doutorado nos últimos 5 (cinco) anos. Exceções a esse critério

poderão ser consideradas, no caso de pesquisador não vinculado a uma

Instituição que possua Programa de Pós-Graduação (PG).

3.5. Estar orientando formalmente pelo menos 1 mestrando ou

doutorando, vinculado a programas de PG reconhecidos pela CAPES.

3.6. Ter obtido pelo menos 1 (um) auxílio financeiro (de fonte

pública ou privada) durante o último qüinqüênio para desenvolver suas

pesquisas. Listar na "Avaliação crítica de produtividade" as informações

sobre estes auxílios (alínea "ii", item 1, Normas Gerais): a) se é

coordenador ou colaborador; b) título do projeto; c) número do processo e

nome da instituição de fomento; d) prazo de vigência; e) valores dos

recursos financeiros concedidos.

4. Manutenção de bolsista na categoria 2

Se apenas houve atendimento aos critérios mínimos e ausência de

critérios de progressão, nova proposta do candidato(a) perde prioridade

para atendimento.

5. Critérios Mínimos para Enquadramento na categoria 1

5.1. Título de Doutor obtido em período igual ou superior a 8 (oito)

anos, conforme previsto em Chamada específica.

5.2. Preferencialmente ter sido contemplado com bolsa PQ categoria

2 por um período não inferior a 3 (três) anos.

5.3.Ter publicado pelo menos 15 (quinze) artigos em periódicos

científicos com fator de impacto igual ou superior a 2,0 no último decênio.

Exceções a esse critério do número de artigos poderão ser consideradas em

função da qualidade da contribuição e do impacto diferenciado dos

periódicos científicos.

5.4. Ser o autor responsável em pelo menos 7 (sete) desses artigos,

sendo necessariamente autor correspondente em pelo menos 5 (cinco)

artigos. Candidatos compartilhando a responsabilidade pelos artigos, como

evidência de liderança científica, podem ser excepcionalmente aceitos nesta

contagem.

Nota: Espera-se que o candidato demonstre liderança e autonomia,

sendo autor de publicações, com significativa responsabilidade, indicado

pela posição na lista de autores, como primeiro, último ou autor

correspondente. Recomenda-se que o candidato(a) destaque este informe na

"avaliação crítica da produção científica" (alínea "ii", item 1, Normas

Gerais).

5.5. Ter concluído a orientação de pelo menos 1 doutorado ou 3

mestrados nos últimos 10 (dez) anos. Exceções a esse critério poderão ser

consideradas, no caso de pesquisador não vinculado a uma Instituição que

possua Programa de Pós-Graduação (PG).

5.6. Estar orientando formalmente mestrando ou doutorando ou pósdoutorando,

vinculados a programas de PG reconhecidos pela CAPES.

5.7. Ter obtido pelo menos 2 (dois) auxílios financeiros (de fonte

pública ou privada) durante o último decênio para desenvolver suas

pesquisas. Listar na "Avaliação crítica de produtividade" as informações

sobre estes auxílios (alínea "ii", item 1, Normas Gerais): a) se é

coordenador ou colaborador; b) título do projeto; c) número do processo e

nome da agência de fomento; d) prazo de vigência; e) valores dos recursos

financeiros concedidos.

5.8. Demonstrar histórico consistente em linha de pesquisa. Em caso

de mudança de campo de estudo, o proponente deve fundamentar esta

mudança na "avaliação crítica da produção científica", vide item 1, Normas

Gerais do CA-MP.

6. Critérios para progressão na categoria 1, aos níveis C, B, A

Além de cumprir com os critérios mínimos gerais para a categoria 1,

o candidato deve:

6.1. Demonstrar continuidade e regularidade nas atividades de

pesquisa e de orientação de pós-graduandos e/ou supervisão de Pós-

Doutores. Liderança de Grupo de Pesquisa consolidado, e com cadastro

atualizado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.

6.2. Ter publicado no decênio anterior, pelo menos 20 (vinte) artigos

(1C); 30 (trinta) artigos (1B); 40 (quarenta) artigos (1A) em periódicos

científicos indexados e com fator de impacto igual ou superior a 2,0.

6.3. Ser o autor responsável em pelo menos 50% dos artigos

publicados de acordo com o item 6.2. Candidatos compartilhando

responsabilidade pelos artigos, como evidência de liderança científica,

podem ser excepcionalmente aceitos na avaliação deste critério.

6.4. Para os níveis 1A e 1B será considerado particularmente

relevante o histórico consistente e regular de publicação de artigos com

elevados índices de citação na literatura, derivados de pesquisa realizada no

país.

6.5. Para os níveis 1A e 1B será valorizada especialmente a inserção

nacional e internacional do proponente, na sua rede de colaboradores, na

obtenção de financiamento para a pesquisa, na atuação acadêmica e em

associações científicas.

6.6. Para os níveis 1A e 1B espera-se a atuação em gestão acadêmica

de alto nível e reconhecimentos de liderança: prêmios e distinções,

participação como conferencista e editoria de publicações científicas.

7. Critérios para classificação ou desempate

Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou transferidas,

o CA-MP deverá utilizar como parâmetro de classificação e desempate

(para todos os níveis PQ) os seguintes critérios, nesta ordem:

7.1. Número de publicações em periódicos com fator de impacto

igual ou superior a 2,0;

7.2. Percentual de publicações em periódicos, conforme item 7.1,

como primeiro, último ou autor correspondente;

7.3. Indicadores de citações e de impacto;

7.4. Autoria de livros ou capítulos de livros em microbiologia ou

parasitologia;

7.5. Patentes e eventuais transferências de tecnologia na área de

pesquisa do candidato à bolsa;

7.6. Média anual de financiamento à pesquisa, obtidos pelo candidato

como coordenador de projeto;

7.7. Avaliação do mérito e originalidade do projeto de pesquisa.

8. Reconhecimento de Notória Liderança Científica

Em casos excepcionais, e apoiado por 2/3 dos membros do CA-MP,

parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e critérios

adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para

candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pelo

conjunto de sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola

de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma

área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas

de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados

os seguintes critérios:

8.1. Produção científica da carreira, incluindo, a edição e

participação em livros;

8.2. Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se

critérios qualitativos e quantitativos;

8.3. Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-

Graduação (Mestres e Doutores);

8.4. Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição

científica;

8.5. Nucleação de grupos de pesquisa;

8.6. Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração

de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.