Agraciados

 

PESQUISADORES EMÉRITOS

Foto do Warwick Estevam Kerr

Warwick Estevam Kerr

2008

  • O engenheiro agrônomo, geneticista e biólogo Warwick Estevam Kerr é especialista em genética de abelhas. Formado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (atual USP), em 1945, e doutor em genética em 1948, também na Universidade de São Paulo. Sua pesquisa é feita na área de genética, com ênfase em animal. Desenvolveu um novo tipo de espécie de abelha, denominada "africanizada", feita por meio de um híbrido das espécies européia e africana, dócil e boa produtora de mel. Na área de engenharia agrônoma descobriu um tipo de alface com mais vitamina A que o tipo comum. A hortaliça é usada no combate da avitaminose. Primeiro brasileiro eleito membro estrangeiro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, em 1990, já foi Comendador da Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, pelo Presidente da República do Brasil, em 1994, e da Ordem de Rio Branco, pelo Ministério das Relações Exteriores, em 2001. Atualmente é professor na Universidade Federal de Uberlândia, na Universidade Federal do Maranhão e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.


Foto do Wilson Cano

Wilson Cano

2008


  • Economista, Wilson Cano formou-se pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em 1962, concluiu doutorado em 1975 e a livre-docência em 1982, em ciências econômicas na Universidade Estadual de Campinas. Membro vitalício do Conselho Curador da Fundação Economia de Campinas, dedicou-se à vida acadêmica, atuando na área de economia, com ênfase em desenvolvimento econômico, economia brasileira, latino-americana e regional. Entre os prêmios e homenagens, recebeu o Prêmio Jabuti de 2007, como autor do verbete de economia da Enciclopédia Contemporânea da América Latina e do Caribe, e pelo artigo Alguns temas relevantes sobre América Latina e Brasil tratados por Celso Furtado, publicado no livro Celso Furtado e o Século XXI, e o prêmio Visconde de Cairú, do Instituto Roberto Simonsen, em 1977. Atualmente é professor titular da Universidade Estadual de Campinas.


Foto do Firmino Torres de Castro

Firmino Torres de Castro

2007

  • O médico Firmino Torres de Castro dedicou sua vida à pesquisa acadêmica na área da biomedicina. Titulado como Livre-Docente Doutor em bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Firmino Torres atuou como biologista no Instituto Oswaldo Cruz, professor adjunto no Instituto de Biofísica, da UFRJ, e foi diretor do Setor de Biologia do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Como bolsista, já esteve na Wisconsin University, EUA, no Centre d'Études Nucléaires em Saclay, França, e na John Simon Guggenheim Foundation, no Einstein College of Medicine, EUA. Foi pesquisador visitante de instituições científicas da Grã-Bretanha, pelo convênio CNPq-Royal Society, e na Universit ét Paris VII.


Foto do Gerhard Jacob

Gerhard Jacob

2007

  • Doutor em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, da qual foi Reitor de 1988 a 1990. Atualmente, é Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Foi presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) entre 1990 e 1991 e atuou como Professor Visitante nas Universidades de Heidelberg, Maryland e Münster. Dentre as condecorações recebidas, destacam-se: Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, pela presidência do Brasil; Cruz do Mérito Federal, da Alemanha; Cavaleiro da Ordre des Palmes Académiques, da França; Medalha do Jubileu do CNPq; Medalha do Jubileu da Fundação Alexander von Humboldt; Medalha do Jubileu de Prata, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). É autor de mais de cinqüenta artigos publicados internacionalmente.


Foto do José Ferreira Fernandes

José Ferreira Fernandes

2007

  • Pós-doutor em Bioquímica como bolsista da Rockfeller Foundation na Universidade de Wisconsin-Madison, e, posteriormente, sob orientação do Prof. Arthur Kornberg (Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia) na Washington University, Saint Loius. Foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, pela presidência do Brasil, e premiado com o Cinqüentenário Rhodia de Medicina. Convidado pela Fundação Rockefeller, o Professor discutiu seu plano de pesquisa com o Prêmio Nobel, Prof. G. Hitching. Entre outras funções acadêmicas, o Professor Ferreira Fernandes foi vice-diretor do Instituto de Química da Universidade de São Paulo e membro do Comitê Assessor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) durante quatro anos.


Foto do Lindolpho de Carvalho Dias

Lindolpho de Carvalho Dias

2007

  • O engenheiro Lindolpho de Carvalho Dias traçou sua carreira científica atuando intensamente em duas áreas específicas. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, concluiu o doutorado em Ciências e iniciou sua vida acadêmica como professor e pesquisador. Destacou-se pelo trabalho de implementação do vestibular unificado das escolas de Engenharia. Foi diretor do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), nas décadas de 60, 70 e 80, integrante da Comissão Fulbright, atuou na Organização dos Estados Americanos (OEA) e nos ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia, tendo sido, neste último, Secretário Executivo por duas vezes. Sua atuação no CNPq passou por vários setores: Diretor do Setor de Matemática, nos anos 60, membro do Conselho Deliberativo e Vice Presidente nos anos 70, Diretor das Unidades de Pesquisa ,entre 1991 e 1993 e Presidente da Agência de 1993 a 1995.


Foto do Luiz Queiroz de Orsini

Luiz Queiroz de Orsini

2007

  • Engenheiro mecânico-eletricista, Luiz de Queiroz de Orsini recebeu, em 1998, o título de Professor Emérito da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP) e foi responsável pela estruturação do curso e currículo de Engenharia Elétrica no Brasil. Seus estudos incluem o efeito de cintilação em diodos saturados, a amplificação seletiva em baixa freqüência, e as sondagens eletromagnéticas da ionosfera. O Professor Orsini é, também, autor de vários livros didáticos, montou laboratórios nas áreas de Eletricidade, Eletrônica e Instrumentação e foi pioneira na utilização de computadores em atividades de ensino de disciplinas teóricas e experimentais.


Foto do Luis Rey

Luis Rey

2007

  • Doutor e Professor Livre-Docente em medicina pela Universidade de São Paulo (USP), com Pós-Graduação em Saúde Pública pela École Nationale de Santé Publique (França), Luis Rey dedicou-se, desde o início de sua carreira, à saúde pública e ao combate das epidemias parasitárias. Foi Professor na USP, na Universidade de Taubaté e na Universidade Estadual de Londrina e chefiou do Dep. de Helmintologia do Instituto Oswaldo Cruz, no qual promoveu a criação do Lab. de Biologia e Controle da Esquistossomose. Como epidemiologista da OMS, da qual foi consultor por mais de 20 anos, erradicou a esquistossomose na Tunísia. Fundador da Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, Luis Rey foi presidente da Sociedade Brasileira de Parasitologia e recebeu diversos prêmios, dentre eles o Prêmio Jabuti, por um dos cinco livros científicos de que é autor. Atualmente, é Pesquisador Emérito da Fundação Oswaldo Cruz.


Foto do Otto Richard Gottlieb

Otto Richard Gottlieb

2007

  • Químico Industrial pela Universidade do Brasil, Otto Richard Gottlieb é Tcheco, mas optou pela nacionalidade brasileira. Após 10 anos na indústria, abraçou a carreira acadêmica. Foi pioneiro na introdução no país da fitoquímica e da química orgânica moderna. Orientou 120 teses de Pós-Graduação e lecionou disciplinas pioneiras baseadas, inclusive, em pesquisa própria. Fundou e orientou grupos de pesquisa em Química Orgânica e em Produtos Naturais em diversas instituições. Com mais de meio século dedicado ao estudo da biodiversidade brasileira, identificou milhares de substâncias vegetais e criou conceitos e métodos originais descritos em publicações, comunicações e conferências. Doutor Honoris Causa de várias universidades, recebeu prêmios nacionais e internacionais. Atualmente, dedica-se à consolidação de uma nova disciplina criada por ele, a Químico-Biologia Quantitativa.


Foto do Paulo Emílio Vanzolini

Paulo Emílio Vanzolini

2007

  • Médico formado pela Universidade de São Paulo (USP) e Ph.D. pela Universidade de Harvard, especializou-se em sistemática evolutiva dos répteis. Trabalha no Museu de Zoologia da USP, na seção de Herpetologia, de onde é aposentado desde 1993. É reconhecido internacionalmente como um dos pioneiros na formulação da teoria dos refúgios. Membro da Academia Brasileira de Ciências, tendo sido indicado pela entidade como representante da comunidade científica para integrar o grupo de trabalho destinado a propor e acompanhar as atividades relacionadas com o conhecimento, conservação e uso sustentável da diversidade biológica. Por mais de 30 anos, foi Professor de Pós-Graduação na USP, sendo responsável por 36 doutoramentos.