Pular para o conteúdo

Critérios de Julgamento dos Comitês de Assessoramento

São mais de 300 pesquisadores, entre titulares e suplentes, selecionados de acordo com sua área de atuação e conhecimento. Eles são escolhidos periodicamente pelo Conselho Deliberativo (CD) , com base em consulta feita à comunidade científico-tecnológica nacional e têm a atribuição, entre outras, de julgar as propostas de apoio à pesquisa e de formação de recursos humanos. Conheça as normas, os membros e os critérios de julgamento dos CAs.

ATENÇÃO: A Resolução Normativa que rege as Bolsas de Produtividade em Pesquisa (RN 016/2006), foi recentemente alterada.
 
Os critérios de julgamento das Bolsas de Produtividade em Pesquisa poderão levar em consideração, além das especificidades da área:
 
- Mérito científico do projeto; relevância, originalidade e repercussão da produção científica do proponente; formação de recursos humanos em pesquisa; contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes; coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa; inserção internacional do proponente; participação como editor científico; gestão cienti¿fica e acadêmica.
 
Também deverão ser considerados, na análise das propostas, quando pertinente:
 
- Foco nos grandes problemas nacionais; Abordagens multi e transdisciplinares; Impacto social; Comunicação com a sociedade; Interação com o parque produtivo; Conservação Ambiental e Sustentabilidade.
 
Para maiores informações clique aqui (RN 16/2006).

  • 1. Critérios Gerais

     

    a) O enquadramento na categoria 1 exige que o pesquisador tenha  8 (oito) anos, no mínimo, de doutorado, por ocasião da implementação da bolsa ou pelo menos 10 (dez) anos de experiência em atividades de desenvolvimento tecnológico e em atividades de extensão inovadora e de transferência de tecnologia. O enquadramento na categoria 2,  exigeque o pesquisador tenha  3 (três) anos, no mínimo, de doutorado por ocasião da implementação da bolsa ou pelo menos 5 (cinco) anos de experiência em atividades de desenvolvimento tecnológico e em atividades de extensão inovadora e de transferência de tecnologia.

     

    b) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso da categoria 2, e do decênio anterior, no caso da categoria 1.

     

    c) Os itens de avaliação incluem: o projeto com foco no desenvolvimento científico-tecnológico, a produção científica e tecnológica, patentes depositadas e/ou concedidas, a transferência de tecnologia para o setor produtivo ou para o setor público, formação de recursos humanos e outras atividades, tais como: coordenação ou participação em projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico; participação em atividades editoriais e de gestão científica e tecnológica.

     

    d) As propostas serão classificadas de forma comparativa a partir de critérios específicos descritos a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda ao total de cotas de bolsas DT disponibilizadas pelo CNPq.

     

    2. Critérios Específicos

     

    Perfil do pesquisador

     

    Para ingressar no sistema, o CA-DT exige que o pesquisador tenha uma clara participação em atividades de desenvolvimento tecnológico e extensão inovadora, associadas a uma prática regular e adequada de publicação cientifica dos resultados de seus trabalhos.

     

    São consideradas tanto a regularidade na produção como sua qualidade, observando o nível científico e tecnológico dos resultados e os meios empregados para sua divulgação.

     

    Além disto, é necessário que atue em áreas temáticas de desenvolvimento tecnológico e extensão inovadora coerentes com sua produção, verificadas na apresentação de um projeto bem elaborado, especialmente nos aspectos da fundamentação teórica, metodológica, cronograma e indicadores de produção.

     

    Como itens de avaliação considera-se:

     

    Produção tecnológica:desenvolvimento de produtos e/ou processos que viabilizem a produção de novos bens e serviços importantes para a sociedade ou que facilitem e implementem a produtividade, expressos por meio de depósito de patentes, cultivares protegidas e/ou registradas, programas de computador, publicações de natureza tecnológica, normas e manuais, desenhos industriais, marcas, artefatos de hardware, entre outros de natureza similar.

     

    Transferência de Tecnologia:licenciamentos, transferência de know-how, prestação de serviços tecnológicos, assessoria/consultoria/treinamento de natureza técnica, organização de empresas ou incubadoras, e outras iniciativas empreendedoras e empresariais.

     

    Participação em projetos de natureza tecnológica:coordenação de projetos, captação de recursos públicos e/ou privados, estabelecimento de parcerias com empresas ou com instituições de natureza tecnológica.

     

    Extensão inovadora:transferência de conhecimento e tecnologia inovadores, expressa por meio de programas de disseminação de produtos e processos importantes para a sociedade.

     

    Formação de Recursos Humanos e outras atividades: Organização de programas de formação e capacitação tecnológica, orientação de alunos e bolsistas de pós-graduação e pós-doutorado, capacitação/treinamento de recursos humanos com ênfase nas áreas tecnológicas, e organização ou participação em eventos de natureza tecnológica.

     

     

    Classificação dos Bolsistas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora

    Categoria 2.

    Para a categoria 2, em que não há especificação de nível, será avaliada a produção técnico-científica comprovada. Em quase todos os casos, este é o nível inicial atribuído a um pesquisador. Excetuam-se os casos de pesquisadores mais experientes com bons currículos e desde que haja disponibilidade de bolsas.

    Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior:

    a) ter atuação efetiva em desenvolvimento tecnológico, extensão inovadora ou transferência de tecnologia para o setor produtivo ou para o setor público;

    b) ter coordenado projeto de pesquisa que tenha recebido financiamento de órgãos de fomento ou empresas;

    c) ter publicações em veículo de qualidade reconhecida em sua área de conhecimento;

    d) apresentar projeto de mérito técnico científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc.

    Categoria 1.

    Para a categoria 1, o pesquisador será enquadrado em quatro diferentes níveis (A, B, C ou D), com base comparativa entre os seus pares.

    A diferenciação entre os níveis A, B, C e D é baseada nos itens de avaliação definidos pelo Comitê Avaliador, devendo privilegiar a qualidade e o conjunto da obra do pesquisador.

    Categoria 1 - Nível D.Com base em análise comparativa entre os pares da categoria 2, o pesquisador deve demonstrar atuação e produção destacada, caracterizada pela regularidade na:

    a) produção tecnológica expressa por meio de patentes, cultivares ou produto de relevância em sua área de atuação;

    b) captação de recursos para o desenvolvimento de projetos;

    c) capacidade de estabelecer parcerias e/ou transferir tecnologia para o setor privado.

    Categoria 1 - Nível C. Além das exigências do nível 1D, deve atender os requisitos abaixo:

    a) ter independência científica e inserção internacional, comprovada através de participação em projetos internacionais ou programas de cooperação internacional;

    b) contribuir com a formação de recursos humanos em nível de pós-graduação e/ou capacitação tecnológica.

    Categoria 1 - Nível B. Além das exigências do nível 1C, deve atender os requisitos abaixo:

    a) apresentar produção tecnológica significativa, notadamente em patentes e em publicações de alto nível;

    b) ter contribuído para formar grupos de competência, com reconhecimento nacional e internacional.

    Categoria 1 - Nível A. Além das exigências do nível 1B, deve atender os requisitos abaixo:

    a) ter contribuído de maneira expressiva e evidente para o desenvolvimento científico-tecnológico da sua área no País;

    b) apresentar produção científico-tecnológica de impacto socio-econômico, com atuação no desenvolvimento de produtos/processos de alcance na sociedade e no mercado nacional e/ou internacional.

     

    NOTA

     

    Os indicadores de produtividade não são necessariamente os mesmos para os diversos programas. Para avaliação das propostas o CA-DT se organiza em subcomitês e conta com os pareceres de especialistas dos programas em questão. Desta forma, leva-se em consideração  as características especificas de cada Programa para o julgamento. Como exemplos: no subcomitê de Agrárias a proteção e registro de cultivares têm importância equivalente à geração de patentes; no Programa de Tecnologia da Informação e Comunicação a publicação de artigos em eventos de qualidade comprovada tem relevância equivalente à publicação de  artigos em periódicos; no Programa de Biotecnologia, vinculado ao Subcomitê de Agrárias, exige-se a produção de patentes e/ou produtos para a concessão da bolsa.

     

    Os pesquisadores atuais dos níveis 1A a 1D que não atenderem aos requisitos mínimos por ocasião de um novo pedido de bolsa de produtividade e tiverem seus pedidos aprovados serão reenquadrados no nível compatível. Os pesquisadores atuais do nível 2 que não atenderem aos requisitos mínimos por ocasião de um novo pedido de bolsa de produtividade não terão seus pedidos aprovados e serão desligados do sistema - DT.

     

    Para bolsistas DT que pleiteiam uma nova concessão de bolsa, solicita-se que seja

    incluído, no mesmo arquivo do projeto de pesquisa para o novo período, um relatório resumido das atividades executadas e produções científico-tecnológicas

    realizadas no período anterior.

  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

    Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

    Comitê de Assessoramento de Administração Contabilidade e Economia (CA-AE)

    Critérios de Julgamento

    Vigência:  2012 a 2014

     

     I.Critérios Específicos - Administração e Contabilidade

     Requisitos e Condições Básicas

     1. Atividade principal do bolsista

    Vinculação em instituição com atividade contínua de pesquisa e / ou ensino em nível de mestrado e doutorado.

    2. Tempo de obtenção do título de doutor.

    Três anos de obtenção do título de doutor para o nível 2 e de oito anos para o nível 1.

     3. Qualidade do projeto de pesquisa.

    O mérito técnico-científico do projeto de pesquisa é avaliado considerando os seguintes fatores:

    - a justificativa para sua realização, a clareza, originalidade e a relevância da questão que se pretende elucidar, o foco e a clareza de seus objetivos;

    - a pertinência do referencial teórico, a bibliografia utilizada baseada em publicações seminais nacionais e internacionais;

    - a adequação da metodologia proposta;

    - a duração proposta para a realização da pesquisa; e

    - os benefícios potenciais dos resultados esperados para a área do conhecimento e para a sociedade brasileira.

    - a classificação das propostas pauta-se nos critérios de comparação entre pares, além do número de bolsas disponíveis.

    O projeto de pesquisa é avaliado por dois consultores ad hoc. A opinião desses consultores, com relação a esses itens, é considerada, pelo Comitê Assessor, como fonte importante para a avaliação do projeto. 

    "O Comitê Assessor também avaliará projetos de pesquisa, provenientes de núcleos de pesquisa ou pesquisadores, que atuem no campo de Administração e Contabilidade, cujo propósito é ampliar o conhecimento e avanços em áreas pouco desenvolvidas mundialmente e para a sociedade brasileira, mas que são comprovadamente relevantes para o conhecimento científico de modo geral."

     

    4. Produção Intelectual e Disseminação do Conhecimento

    Apresentar produção científica regular nos estratos superiores do Qualis CAPES (A1, A2, B1 e B2) na área de Administração ou Contabilidade

     

    5. Formação de Recursos Humanos.

    O Comitê de Administração e Contabilidade adota como requisito mínimo a conclusão de duas orientações de mestrado ou uma orientação de doutorado.

     

    6. Coordenação de pesquisa, liderança e reconhecimento científicos

    Consideram-se a experiência do pesquisador na coordenação de projetos e grupos de pesquisa, a capacidade demonstrada de nucleação de grupos de pesquisa, o exercício de funções de liderança e de coordenação de atividades acadêmicas em instituições de ensino e pesquisa e em associações científicas, a participação em atividades editoriais, administração de núcleos de excelência científica e tecnológica; a contribuição científica e tecnológica para a inovação.

    Recomendação e Enquadramento

    Para a emissão de pareceres finais de recomendação, o Comitê Assessor atribuirá os seguintes pesos:

    Produção intelectual: 50%

    Formação de mestres e doutores: 20%

    Coordenação de pesquisa: 15%

    Liderança e reconhecimento científicos: 15%

     

    Perfis mínimos do Pesquisador nível 1

    Para ascensão ao nível 1 é necessário que o pesquisador comprove alto nível de inserção na comunidade científica – em nível nacional para 1D e 1C e em nível internacional para 1B e 1A. Além da observância dos resultados alcançados nos quesitos Produção intelectual, Formação de mestres e doutores, Coordenação de pesquisa, e Liderança e reconhecimento científicos, as condições adiante descritas serão observadas pelo Comitê de Administração e Contabilidade para enquadramento do pesquisador nível 1:

    Nível 1D – Ter concluído duas orientações de doutorado e autoria de um artigo publicado em periódico classificado no estrato A do Qualis/CAPES, nos últimos dez anos.

    Nível 1C – Ter concluído três orientações de doutorado, autoria de dois artigos publicados em periódicos classificados no estrato A do Qualis/CAPES, ter exercido atividades editoriais relevantes (função de editor geral de periódico, por exemplo), ou a função de coordenador de programa de pós-graduação, ter atuado em comitês de agências de fomento ao ensino e pesquisa, ou desenvolvido atividades semelhantes, nos últimos dez anos.

    Nível 1B – Ter concluído quatro orientações de doutorado, autoria de três artigos publicados em periódicos classificados no estrato A do Qualis/CAPES, ter exercido a função de editor geral de periódico de nível B2 ou superior, ou ter exercido a função de membro do Comitê Assessor de Administração e Contabilidade do CNPq, ou função de direção de associações científicas representativas da área de Administração e Contabilidade, ou de coordenação da área de Administração, Contabilidade e Turismo, na CAPES, ou desenvolvido atividades semelhantes, nos últimos dez anos.

    Nível 1A – O bolsista nível 1A deve ter realizado atividades ou exercido funções de liderança científica que tenham contribuído para a consolidação da área de Administração e Contabilidade como campo de conhecimento científico no Brasil. Além de atender as condições do nível 1 B exige-se, para este nível, que o pesquisador tenha autoria de quatro artigos publicados em periódicos classificados no estrato A, e tenha demonstrado capacidade de nucleação de grupos de pesquisa.

     

     

    II. Critérios Específicos – Economia

     

    1- Requisitos e Condições Básicas

    i) Dedicar-se a atividades de pesquisa.

    2- Qualidade do Projeto

    O projeto de pesquisa terá um peso importante na avaliação da requisição de bolsa. Na avaliação do projeto serão levados em conta:

    i) Sua contribuição com relação ao estado atual da literatura econômica.

    ii) Seus fundamentos teóricos.

    iii) A pertinência da abordagem metodológica.

    iv) Viabilidade de realização durante o período de concessão da bolsa. A opinião de dois pareceristas ad hoc com relação a esses itens será uma fonte importante de informação a ser utilizada para avaliar o projeto, principalmente quando ela é ponderada e circunstanciada, pois a bolsa de Produtividade é destinada aos pesquisadores que se destaquem entre seus pares, valorizando sua produção científica segundo critérios normativos, estabelecidos pelo CNPq, e específicos, pelos Comitês de Assessoramento (CAs) do CNPq.

    3- Produção Científica e Participação em Congressos

    A publicação de trabalhos em revistas especializadas é uma medida importante da penetração e da importância do pesquisador na comunidade científica e, portanto, terá um peso grande na avaliação da solicitação. A publicação de artigos nas melhores revistas internacionais e nacionais, segundo a avaliação do “Qualis” da CAPES, é hoje um critério considerado imprescindível. O comitê de Economia considerará as publicações realizadas durante os últimos cinco anos para os já classificados no nível 2 ou os que se candidatam ao ingresso ou re-ingresso no sistema. A produção científica cadastrada no sistema Lattes do pesquisador 1 será avaliada nos últimos 10 anos. Deve ser ressaltado que publicações em revistas de maior qualidade e reputação científica serão privilegiadas para concessão de bolsa. A publicação de livros e de capítulos de livros, serão levados em consideração, porém com peso menor que a publicação de artigos.

    4- Formação de Pesquisadores

    A capacidade do pesquisador de formar novos pesquisadores também é avaliada e levada em conta para concessão da bolsa. O comitê de Economia considerará principalmente as orientações de teses de doutorado já concluídas e secundariamente de dissertações de mestrados. O comitê de Economia considerará as orientações realizadas durante os últimos cinco anos para os já classificados do nível 2 ou os que se candidatam ao ingresso ou re-ingresso no sistema. No caso do pesquisador 1 será considerada as orientações dos últimos dês anos.

    5- Critérios Qualitativos

    Os critérios qualitativos complementam os critérios quantitativos e incluem itens relevantes e de difícil quantificação, como a participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica; a contribuição científica e tecnológica para a inovação e liderança e reconhecimento institucionais.

    6- Outros Critérios

    É preciso mencionar que no processo de concessão da bolsa de produtividade em pesquisa, os pesquisadores antigos (que já recebem bolsa) serão submetidos aos mesmos critérios por meio dos quais serão avaliados os pesquisadores novos, podendo ter seu pedido de renovação negado caso não atinjam os critérios listados acima.

    Vale mencionar por fim que, como o número de bolsas é limitado e a demanda tem sido maior que a oferta, os critérios para concessão de bolsa são necessariamente comparativos, não havendo padrão mínimo a partir do qual a bolsa será concedida.

    Recomendação e Enquadramento

    Para a emissão de seus pareceres finais de recomendação, o Comitê Assessor atribuirá os pesos abaixo:

    Produção Intelectual: 50%

    Formação de recursos humanos em nível de pós-graduação: 15%

    Atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica: 15%.

    Contribuição científica, tecnológica para a inovação (repete nota de produção intelectual): 15%

    Liderança e reconhecimento institucional: 5%.

     

     

     

  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

    Critérios de Julgamento - CA-DC

     

    Perfil 1: pesquisa em divulgação científica – Bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ)
    Critérios de avaliação, em ordem de prioridade decrescente:
    1- mérito científico do projeto;
    2- contribuição científica, tecnológica e de inovação sobre divulgação científica, incluindo patentes;
    3- relevância, originalidade e repercussão da produção sobre divulgação científica do candidato;
    4- formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;
    5- coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa que contemplem divulgação científica;
    6- inserção internacional do proponente;
    7- participação como editor científico;
    8- participação em atividades de gestão científica e acadêmica.
     

    Perfil 2: produtividade em divulgação científica – Bolsa de Produtividade em Pesquisa (PQ)
    Critérios de avaliação, em ordem de prioridade decrescente:
    1- contribuição efetiva em divulgação científica, incluindo produção escrita, em mídias variadas, em atividades para o público, e patentes;
    2- mérito da proposta de ações em divulgação científica;
    3- relevância, originalidade e repercussão da produção de divulgação científica do candidato;
    4- coordenação ou participação em projetos, redes e/ou outras iniciativas de divulgação científica, incluindo gestão de museus e centros de ciência;
    5- formação de recursos humanos para a divulgação científica e/ou educação em ciências e/ou atividades profissionais afins, em qualquer nível;
    6- participação em atividades de gestão científica e acadêmica;
    7- inserção internacional do proponente;
    8- participação como editor científico;
    9- produção tecnológica e interação com o parque produtivo.
     


    Qualificação como Nível 2:

    Perfil 1 - Mínimo de 3 anos de doutorado e orientação concluída de ao menos um mestrado.
    Perfil 2 – Mínimo de 3 anos de doutorado, além de no mínimo 3 anos de atividade comprovada de divulgação científica.

    Qualificação como Nível 1:

    Perfil 1 – Mínimo de 8 anos de doutorado e orientação concluída de ao menos um doutorado.
    Perfil 2 – Mínimo de 8 anos de doutorado, além de no mínimo 8 anos de atividade comprovada de divulgação científica.

     

    Nível 1A – até 10% dos bolsistas de nível 1
    Nível 1B – até 30% dos bolsistas de nível 1
    Nível 1C – até 50% dos bolsistas de nível 1
    Nível 1D – até 100% dos bolsistas de nível 1

  • Ciências da Vida

    Critérios de Julgamento - CA-SN

    Elegibilidade – pesquisadores com atuação na área (publicação, orientação, participação em eventos) e:

    PQ-2
    ·    ter pelo menos 3 anos de doutoramento;
    ·    ter concluído a orientação de pelo menos um aluno de pós-graduação (MA ou DR) como orientador principal nos últimos cinco anos;
    ·    ter publicado pelo menos 10 trabalhos científicos nos últimos 5 anos;
    ·    estar em atividade de orientação em PG

    PQ-1
    ·    ter pelo menos 8 anos de doutoramento;
    ·    ter concluído pelo menos 10 orientações de pós-graduação como orientador principal nos últimos dez anos. Para pesquisadores ligados a programas com doutorado, pelo menos duas dessas orientações devem ser em nível de doutorado, desde que o programa de pós graduação em que está inserido o pesquisador tenha nível doutorado há tempo suficiente para alcançar este critério;
    ·    ter publicado pelo menos 30 trabalhos científicos nos últimos 10 anos;
    ·    estar em atividade de orientação em PG.
     
    Análise comparativa PQ-2

    Serão levadas em conta a produção e as atividades dos últimos 5 anos.

    Avaliação quantitativa da produção cientifica
    Serão considerados apenas os artigos publicados em periódicos A1, A2, B1 e B2 do Qualis da Capes da Saúde Coletiva ou Nutrição, assim como livros completos (equivalentes a 2 produtos), capítulos de livro e organização de livros (organização e capítulos de uma mesma obra serão considerados até o máximo de 2 produtos). Em relação aos livros, serão considerados apenas as publicações de editoras universitárias estrito senso e similares ou de editoras privadas com reconhecida publicação acadêmica. Artigos publicados em suplementos, pela mesma lógica utilizada para coletâneas, serão considerados com limite de dois por fascículo.
    Avaliação qualitativa da produção cientifica e da atuação na área
    Somente serão analisados os pedidos dos candidatos cujo projeto for considerado “Bom, Médio ou Regular” na revisão por pares.


    O projeto de pesquisa deverá incluir seção inicial com no máximo 1.500 palavras contendo, relativos aos últimos cinco anos:
    1.    Breve apresentação de suas linhas de pesquisa;
    2.    Lista dos cinco produtos mais importantes de sua autoria nos últimos 5 anos (incluindo artigos, livros, capítulos e produtos técnicos, como aplicativos, material audiovisual, etc.). Para cada produto, apresentar: justificativa da escolha; relevância para a área de Saúde Coletiva/Nutrição; participação do pesquisador na sua elaboração;
    3.    Participação em corpo editorial de revistas científicas; editoras acadêmicas; direção de sociedades acadêmicas de abrangência nacional ou internacional; comitês das agências de fomento estaduais ou nacionais;
    4.    Participação em projetos de pesquisa com financiamento de agências de fomento locais, nacionais ou internacionais;
    5.    Participação em outras atividades científicas relevantes, nacional ou internacional, não mencionadas anteriormente.
        A avaliação destes documentos, tanto pelos pareceristas ad-hoc quanto pelo comitê assessor, deverá contemplar os seguintes itens:
    ·    coerência do conjunto;
    ·    relevância científica e/ou tecnológica de cada item;
    ·    originalidade da produção;
    ·    repercussão da produção para a área;
    ·    potencial de cooperação.

        Os pareceristas ad-hoc deverão atribuir conceito Excelente, Bom, Médio, Regular ou Fraco ao conjunto total do projeto, e fornecendo justificativa sumária para o conceito.

    Compilação da avaliação final

        A avaliação final dos candidatos será feita considerando-se a produção em termos quantitativos e o documento da avaliação qualitativa, e as bolsas disponíveis serão distribuídas segundo a ordem de classificação na avaliação final. Essa avaliação será feita separadamente para as diversas subáreas do comitê, levando-se em conta suas especificidades.

    Análise comparativa PQ-1

    Serão levadas em conta a produção e as atividades dos últimos 10 anos.

    Avaliação quantitativa da produção cientifica
    Serão considerados apenas os artigos publicados em periódicos A1, A2, B1 e B2 do Qualis da Capes da Saúde Coletiva ou Nutrição, assim como livros completos (equivalentes a 2 produtos), capítulos de livro e organização de livros (organização e capítulos de uma mesma obra serão considerados até o máximo de 2 produtos). Em relação aos livros, serão consideradas apenas as publicações de editoras universitárias estrito senso e similares ou de editoras privadas com reconhecida publicação acadêmica. Artigos publicados em suplementos, pela mesma lógica utilizada para coletâneas, serão considerados com limite de dois por fascículo.
    Avaliação qualitativa da produção cientifica e da atuação na área
    Somente serão analisados os pedidos dos candidatos cujo projeto for considerado “Bom, Médio ou Regular” na revisão por pares.
    O projeto de pesquisa deverá incluir seção inicial com no no máximo 1.500 palavras contendo, relativos aos últimos dez anos:
    1.    Breve apresentação de suas linhas de pesquisa;
    2.    Os cinco produtos mais importantes de sua autoria (incluindo artigos, livros, capítulos e produtos técnicos, como aplicativos, material audiovisual, etc.). Para cada produto, apresentar: justificativa da escolha; relevância para a área de Saúde Coletiva/Nutrição; participação do pesquisador na sua elaboração;
    3.    Participação em corpo editorial de revistas cientificas; editoras acadêmicas; direção de sociedades acadêmicas de abrangência nacional ou internacional; e em comitês das agências de fomento estaduais ou nacionais;
    4.    As três orientações concluídas mais importantes, levando em conta a temática, as publicações etc;
    5.    Coordenação de projetos de pesquisa financiados por agências de fomento locais, nacionais ou internacionais;
    6.    Participação em outras atividades científicas relevantes, nacional ou internacional, não mencionadas anteriormente.
        A avaliação destes documentos, tanto pelos pareceristas ad-hoc quanto pelo comitê assessor, deverá contemplar os seguintes itens:
    ·    coerência do conjunto;
    ·    relevância científica e/ou tecnológica de cada item;
    ·    originalidade da produção;
    ·    repercussão da produção para a área;
    ·    liderança do pesquisador;
    ·    potencial de cooperação.

        Os pareceristas ad-hoc deverão atribuir conceito Excelente, Bom, Médio, Regular ou Fraco ao conjunto total do projeto, e fornecendo justificativa sumária para o conceito.
    Compilação da avaliação final

    A avaliação final dos candidatos será feita considerando-se a produção em termos quantitativos e o documento da avaliação qualitativa, e as bolsas disponíveis serão distribuídas segundo a ordem de classificação na avaliação final.. Essa avaliação será feita separadamente para as diversas subáreas do comitê, levando-se em conta suas especificidades.
     

  • Ciências Exatas e da Terra e Engenharias

    Critérios de Julgamento - CA-EN (Mantidos pelo CA-EN)

    Vigência: 2012 a 2015

    Critérios Gerais

    a) O enquadramento do pesquisador na categoria 1 exige que o pesquisador tenha, no mínimo, 8 (oito) anos de doutorado por ocasião da implementação da bolsa. O enquadramento do pesquisador na categoria 2 exige que o pesquisador tenha, no mínimo, 3 (três) anos de doutorado por ocasião da implementação da bolsa.

    b) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso da categoria 2, e do decênio anterior, no caso da categoria 1.

    c) Os critérios incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação ou participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica e administração de instituições e núcleos de excelência  científica e tecnológica.

    d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq. 

    Critérios Específicos

    Este Comitê de Assessoramento trabalha com as áreas abrangidas por 3 (três) programas do CNPq:

    - Programa de Engenharia Nuclear

    - Programa de Fontes Renováveis de Energia

    - Programa de Planejamento Energético

    O Programa de Engenharia Nuclear tem por objetivo fomentar o desenvolvimento científico e tecnológico das seguintes áreas: tecnologia de reatores nucleares, estudos teóricos relativos à engenharia de reatores nucleares, segurança de instalações nucleares, aplicações nucleares na indústria, agronomia, medicina, proteção radiológica e áreas correlatas.

    O Programa de Fontes Renováveis de Energia tem por objetivo fomentar estudos experimentais e teóricos sobre a disponibilidade de radiação solar, velocidade do vento, precipitações pluviométricas, equipamentos e instalações de conversão de energia solar em térmica, conversão fotovoltaica da energia solar, captação e conversão da energia eólica, desenvolvimento de micro-centrais hidrelétricas, tecnologias do uso energético da biomassa, sistemas híbridos, sistemas não-convencionais de armazenagem de energia e instrumentação dedicada aos estudos experimentais das fontes renováveis de energia.

    O Programa de Planejamento Energético tem por objetivo o desenvolvimento de propostas macroeconômicas de implementação de sistemas energéticos, estudos sobre política energética regional e nacional, desenvolvimento de sistemas de uso eficiente de energia nas indústrias, análise de impactos produzidos na conversão e modernização de sistemas energéticos.

    Estes três Programas compartilham o CA-EN e utilizam os critérios abaixo descritos para classificar os pesquisadores no momento de distribuir as quotas de bolsa de Produtividade em Pesquisa. A concessão de bolsas dependerá, além dos critérios descritos, da disponibilidade das mesmas por parte do CNPq.

    Classificação dos Bolsistas de Produtividade em Pesquisa

    Categoria 2. Ter orientado, no mínimo, 3 (três) dissertações de Mestrado como orientador principal (ou mantida a equivalência de 1 Doutorado para 2 Mestrados); ter pelo menos 6 (seis) publicações em periódicos de qualidade na área de atuação do pesquisador, durante toda a sua carreira, sendo que destas no mínimo 5 (cinco) publicações tenham ocorrido nos últimos 5 (cinco) anos, além de participar em projetos de P&D.

    Categoria 1 - Nível D. Ter orientado no mínimo 8 (oito) dissertações de Mestrado como orientador principal (ou mantida a equivalência de 1 Doutorado para 2 Mestrados); ter pelo menos 9 (nove) publicações em periódicos de qualidade na área de atuação do pesquisador, durante toda a sua carreira, sendo que dessas no mínimo 5 (cinco) publicações tenham ocorrido nos últimos 5 (cinco) anos; demonstrar independência científica, além de coordenar projetos de P&D.

    Categoria 1 - Nível C. Ter no mínimo 3 (três) teses de Doutorado concluídas como orientador principal, além do critério mínimo do nível 1D; ter pelo menos 12 (doze) publicações em periódicos de qualidade na área de atuação do pesquisador durante toda a sua carreira, sendo que destas no mínimo 5 (cinco) publicações tenham ocorrido nos últimos 5 (cinco) anos; demonstrar independência científica e coordenar projetos de P&D.

    Categoria 1 - Nível B. Ter no mínimo 5 (cinco) teses de Doutorado concluídas como orientador principal, além do critério mínimo do nível 1D; ter pelo menos 15 (quinze) publicações em periódicos de qualidade na área de atuação do pesquisador durante toda a sua carreira, sendo que destas no mínimo 5 (cinco) publicações tenham ocorrido nos últimos 5 (cinco) anos; demonstrar independência científica e coordenar projetos de P&D, convênios de cooperação e intercâmbio com outras instituições.

    Categoria 1 - Nível A. Ter sido orientador principal de pelo menos 7 (sete) teses de Doutorado, além do critério mínimo do nível 1D; pelo menos 20 (vinte) publicações em periódicos de qualidade na área de atuação do pesquisador durante toda a sua carreira, sendo que destas no mínimo 10 (dez) publicações tenham ocorrido nos últimos 5 (cinco) anos; demonstrar liderança científica, além de coordenar projetos de P&D, convênios de cooperação e intercâmbio com outras instituições.

    IMPORTANTE: Os pesquisadores atuais dos níveis 1A a 1D que não atenderem aos requisitos mínimos por ocasião de um novo pedido de bolsa de produtividade e tiverem seus pedidos aprovados serão re-enquadrados no nível correto. Os pesquisadores atuais do nível 2 que não atenderem aos requisitos mínimos por ocasião de um novo pedido de bolsa de produtividade não poderão ter seus pedidos aprovados e serão desligados do sistema. Em todos os casos, a exigência de 5 (cinco) artigos publicados  nos últimos 5 (cinco) anos deve ser satisfeita, caso contrário a bolsa não poderá ser concedida. Cabe enfatizar que a prioridade para ingresso, progressão e manutenção como bolsista PQ é a produção científica do candidato. De acordo com a nova norma do CNPq para Produtividade em Pesquisa ¿ PQ (norma específica), os dados a serem considerados para avaliação dos pesquisadores 1 (A, B, C e D) serão os dos últimos 10 (dez) anos, enquanto que para os pesquisadores 2 serão os dos últimos 5 (cinco) anos.

  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

    Critérios de Julgamento CA-CS

    Critérios Gerais

    Vigência: 2012 a 2014


    Os critérios foram estabelecidos com o objetivo de avaliar projetos de pesquisa e concessão de bolsas no período. Considerando-se perfis acadêmicos distintos dos pesquisadores de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (CHSA), a avaliação leva em conta titulação, senioridade, produção acadêmica, qualidade do projeto apresentado e outras atividades que os CAs julgarem pertinentes durante o processo de avaliação. É importante a inserção do pesquisador na instituição e nos meios acadêmicos do país, bem como a contribuição do seu trabalho para o avanço dos estudos na área.

    A classificação dos pesquisadores que tiverem seus projetos aprovados será feita de acordo com os seguintes requisitos, considerados em conjunto, segundo a RN 016/2006, anexo 1, item 1.3.4:

    a) mérito científico do projeto;

    b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato;

    c) formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;

    d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes;

    e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

    f) inserção internacional do proponente;

    g) participação como editor científico;

    h) participação em atividades de gestão científica e acadêmica.

    Os pesquisadores são agrupados nas categorias 1 e 2, com o intuito de distinguir pesquisadores seniores e pesquisadores juniores ou recém-integrados ao sistema, levando-se em conta os níveis A, B, C e D para a categoria 1.

    A distinção entre categorias e níveis é de natureza qualitativa. Os parâmetros de classificação baseiam-se no grau de excelência ao preencher os requisitos mencionados acima. A produção científica será avaliada com peso numérico não inferior a 50%, considerando artigos em periódicos especializados, capítulos de livros, livros ou equivalentes em produção artística.

    As categorias 1A, 1B, 1C e 1D são destinadas a pesquisadores que cumpram os requisitos da Norma Específica para PQ, item 1.4.2.

    O pesquisador 1 será avaliado nos últimos 10 anos e o pesquisador 2 nos últimos 5 anos, tendo em vista sua produção científica, cadastrada no currículo Lattes.

    A categoria 2 é destinada à entrada do pesquisador no sistema de Bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq, devendo cumprir no mínimo as seguintes exigências de produção científica e formação de recursos humanos: 5 publicações, considerando-se exclusivamente artigos em periódicos especializados, capítulos de livros, livros ou equivalentes em produção artística; 1 orientação de Mestrado.

     

    Critérios Específicos

    Vigência: 2012 a 2014

     

    Critérios de Julgamento do CA-CS

    Considerando que o objetivo da Bolsa de Produtividade em Pesquisa é distinguir o pesquisador, valorizando sua produção científica segundo critérios normativos  estabelecidos pelo CNPq e, específicos, pelos Comitês de Assessoramento (CAs) do CNPq, o CA-CS, em conformidade com o que determina a Norma Específica, estabelece que as propostas apresentadas ao CA de Ciências Sociais serão analisadas levando-se em conta os critérios de fundamentação teórico-metodológica, originalidade, relevância e exeqüibilidade.

    Para que o candidato possa ser classificado, é preciso, inicialmente, que seu projeto seja aprovado no mérito pelos pareceristas ad hoc e pelo Comitê de Assessoramento da Área. A classificação dos pesquisadores que tiverem seus projetos aprovados será feita de acordo com os seguintes quesitos:

    - Qualidade do projeto apresentado;

    - Produção científica;
    - Formação de recursos humanos;
    - Coordenação ou participação em projetos de pesquisa;
    - Participação em atividades de atividades editoriais ou de gestão científica, e administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica;
    - Contribuição para inovação;

    Quanto ao critério da contribuição para a inovação, esta pode ter várias expressões, refletindo-se em procedimentos didático-pedagócicos voltados para a reprodução da disciplina, perspectivas teórico-metodológicas, ou contribuições relevantes que tenham subsidiado a formulação e/ou implementação efetiva de políticas públicas.

    O CA-CS estabeleceu  uma planilha de critérios específicos que estão em coerência com os quesitos acima estabelecidos. Só deverá solicitar Bolsa de Produtividade em Pesquisa o pesquisador que atender aos critérios abaixo relacionados.  Os critérios  serão  utilizados como subsídio para o CA recomendar a bolsa para o solicitante nas categorias de  Pesquisador 2 e de  Pesquisador 1 - D, C, B, A -  de acordo com os perfis definidos abaixo e com o número de bolsas existentes na Área.

    Pesquisador 2 - Este nível é o da entrada do pesquisador no sistema de Bolsas Produtividade em Pesquisa do CNPq. Para que o pesquisador tenha a sua bolsa recomendada ele deve:

    - Ter no mínimo 3 anos de doutoramento e estar vinculado a grupo de pesquisa registrado no diretório de grupos de pesquisa do CNPq;

    - Apresentar, nos últimos 05 anos, atividade regular de pesquisa e ter publicado  no mínimo 5 publicações, sendo pelo menos 1 artigo em periódico Qualis A1 e A2; ou  02 capítulos de coletâneas publicadas, preferencialmente por editoras universitárias, ou por editoras com selo universitário e distribuição nacional, ou por editoras consagradas, de acordo com os critérios da área. Ter orientado, no momento da solicitação da bolsa, pelo menos 01 aluno de mestrado, quando vinculado a programa de pós-graduação stricto sensu.   

    Pesquisador 1 -  Perfil Geral

    Segundo a RN-016/2006, anexo 1 do CNPq, a categoria dos Pesquisadores 1 é de acesso àqueles que demonstrem atividade contínua de pesquisa, publicação e orientação, com contribuição original e participação acadêmico-científica reconhecida como importantes pela Área.

    A diferenciação entre os níveis A, B, C e D é baseada principalmente em critérios relacionados no item 1.3.4 da Norma Específica, que incluem a qualidade e o conjunto da obra do pesquisador. Espera-se que estes pesquisadores sejam orientadores de mestrado e/ou doutorado,  quando vinculados a Programa de Pós-Graduação stricto sensu, tenham inserção nacional e internacional, por meio de palestras, bancas de concurso público e de mestrado e doutorado, assessorias ad hoc de revistas nacionais e estrangeiras e de órgãos de financiamento à pesquisa. Espera-se ainda que tenham efetivamente participado em algumas atividades de política e gestão científica, incluindo a organização e coordenação de eventos e de convênios internacionais de formação de recursos humanos e de intercâmbio de pesquisadores, a participação em comitês assessores estaduais ou nacionais, em sociedades científicas, em corpos editoriais de revistas científicas e ministrado conferências, como convidados, em eventos nacionais e internacionais.

    Pesquisador 1D - Para ser classificado neste nível o pesquisador deve ter no mínimo 08 anos de doutoramento e, ainda:

    - Estar vinculado a grupo de pesquisa registrado no diretório de grupos de pesquisa do CNPq;

    - Apresentar, nos últimos 10 anos, atividade regular de pesquisa e ter publicado, no mínimo, 03 artigos em periódicos A1 e  A2,  ou 01 livro publicado, preferencialmente, por editoras universitárias, ou por editoras com selo universitário e distribuição nacional, ou por editoras consagradas, de acordo com os critérios da área;
    - Ter orientado pelo menos 01 aluno de doutorado (aceitam-se  02 orientações de mestrado se o Programa não tiver doutorado ou se este tiver sido criado há menos de 04 anos), quando vinculado a Programa de Pós-Graduação stricto sensu;
    - Ter participado da gestão acadêmico-científica em órgãos internos e/ou externos à instituição em que está vinculado;
    - Ter participado, regularmente, de eventos científicos nacionais e internacionais de sua área.

    Pesquisadores 1C e 1B - Nestes níveis, será considerada, além de uma crescente contribuição à formação de recursos humanos e à produção de ciência e tecnologia, a contribuição relevante em diferentes aspectos da organização dos grupos de pesquisa e programas de graduação e pós-graduação de sua instituição, inclusive participação em bancas de concurso público e de mestrado e doutorado.

    A estes níveis poderão ser conduzidos os pesquisadores que, nos últimos 10 anos, tenham dado inequívoca contribuição científico-acadêmica à área.

    Destes pesquisadores, de forma especial, espera-se:

    - Produção científica contínua, regular e inovadora, tendo publicado, nos últimos 10 anos, pelo menos 05 artigos em periódicos A1 ou A2, ou pelo menos 01 livro, ou organizado pelo menos 02 coletâneas, publicados, preferencialmente, por editora universitária, ou por editoras com selo universitário e distribuição nacional; ou por editoras consagradas, de acordo com os critérios da área;

    - Participação, preferencialmente como coordenador, em grupo de pesquisa inscrito no Diretório de Pesquisa do CNPq;

    - Orientação de pelo menos 05 dissertações de mestrado, ou  03 teses de doutorado, quando vinculado a Programa de Pós-Graduação stricto sensu nos respectivos níveis;

    - Participação na gestão acadêmico-científica em órgãos universitários, em entidades científicas e em órgãos de fomento à pesquisa;

    - Editoração de periódicos científicos, coordenação de coletâneas e de coleção de livros acadêmicos, publicados, preferencialmente, por editoras universitárias, ou por editoras com selo universitário e distribuição nacional, ou por editoras consagradas, de acordo com os critérios da área; e/ou a participação em conselhos editoriais de periódicos e/ou editoras;

    - Manutenção de regular e produtivo intercâmbio com a comunidade científica internacional objetivada na publicação em periódicos e livros de editoras estrangeiras relevantes para a área, na organização e ou na participação em eventos científicos, na coordenação de convênios de formação de recursos humanos e de intercâmbio de pesquisadores e na docência em instituições estrangeiras, dentre outros.

     

    Pesquisador 1A - Este nível é reservado a candidatos que tenham mostrado excelência continuada na produção científica e na formação de recursos humanos, e que liderem grupos de pesquisa consolidados. O perfil deste nível de pesquisador deve, na maior parte dos casos, extrapolar os aspectos unicamente de produtividade para incluir aspectos adicionais que mostrem uma significativa liderança dentro da sua área de pesquisa no Brasil e capacidade de explorar novas fronteiras cientificas.

    Assim, a este nível poderão ser conduzidos os pesquisadores que, cumpridos os critérios anteriores, ao longo de suas carreiras tenham dado uma inequívoca contribuição científico-acadêmica à área em todos os quesitos considerados importantes para um bolsista em produtividade (produção científica do candidato; formação de recursos humanos; coordenação ou participação em projetos de pesquisa; atividades editoriais ou de gestão, de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica, organização e coordenação de convênios de formação de recursos humanos e de intercâmbio de pesquisadores, e de eventos acadêmicos de repercussão para a área; ou, ainda,  contribuição para inovação).

    Referências para Avaliação da Produtividade - Para a avaliação da produtividade dos pesquisadores, em seu conjunto, serão consideradas as seguintes referências, sempre levando-se em conta o conjunto da produção e o contexto de inserção institucional do pesquisador:

    60 % produção científica;
    20 % formação de recursos humanos;
    15 % coordenação ou participação em projetos de pesquisa;
    05 % atividades editoriais ou de gestão, de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica, organização e coordenação de convênios de formação de recursos humanos e de intercâmbio de pesquisadores, e de eventos acadêmicos de repercussão para a área; e contribuição para inovação;

     

  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

    Critérios de Julgamento (CA-SA)

    Critérios Gerais

    Vigência: 2012 a 2014

     

    Os critérios foram estabelecidos com o objetivo de avaliar projetos de pesquisa e concessão de bolsas no período. Considerando-se perfis acadêmicos distintos dos pesquisadores de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (CHSA), a avaliação leva em conta titulação, senioridade, produção acadêmica, qualidade do projeto apresentado e outras atividades que os CAs julgarem pertinentes durante o processo de avaliação. É importante a inserção do pesquisador na instituição e nos meios acadêmicos do país, bem como a contribuição do seu trabalho para o avanço dos estudos na área.

    A classificação dos pesquisadores que tiverem seus projetos aprovados será feita de acordo com os seguintes requisitos, considerados em conjunto, segundo a RN 016/2006, anexo 1, item 1.3.4:

    a) mérito científico do projeto;

    b) relevância, originalidade e repercussão da produção científica do candidato;

    c) formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação;

    d) contribuição científica, tecnológica e de inovação, incluindo patentes;

    e) coordenação ou participação em projetos e/ou redes de pesquisa;

    f) inserção internacional do proponente;

    g) participação como editor científico;

    h) participação em atividades de gestão científica e acadêmica.

    Os pesquisadores são agrupados nas categorias 1 e 2, com o intuito de distinguir pesquisadores seniores e pesquisadores juniores ou recém-integrados ao sistema, levando-se em conta os níveis A, B, C e D para a categoria 1.

    A distinção entre categorias e níveis é de natureza qualitativa. Os parâmetros de classificação baseiam-se no grau de excelência ao preencher os requisitos mencionados acima. A produção científica será avaliada com peso numérico não inferior a 50%, considerando artigos em periódicos especializados, capítulos de livros, livros ou equivalentes em produção artística.

    As categorias 1A, 1B, 1C e 1D são destinadas a pesquisadores que cumpram os requisitos da Norma Específica para PQ, item 1.4.2.

    O pesquisador 1 será avaliado nos últimos 10 anos e o pesquisador 2 nos últimos 5 anos, tendo em vista sua produção científica, cadastrada no currículo Lattes.

    A categoria 2 é destinada à entrada do pesquisador no sistema de Bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq, devendo cumprir no mínimo as seguintes exigências de produção científica e formação de recursos humanos: 5 publicações, considerando-se exclusivamente artigos em periódicos especializados, capítulos de livros, livros ou equivalentes em produção artística; 1 orientação de Mestrado.

     

     Critérios Específicos

    Vigência: 2012 a 2014
     

    Além dos requisitos gerais, são também critérios específicos do CA-SA:

    • os pedidos iniciais de bolsa e os de renovação serão sempre analisados comparativamente, obedecendo-se os parâmetros abaixo elencados;
    • liderança acadêmica e reconhecimento institucional.

     

    Detalhamento dos critérios

    Projeto de pesquisa

    20%

    Produção científica

    50%

    Formação de recursos humanos principalmente em nível de pós-graduação

    15%

    Contribuição científica, tecnológica e para a inovação 

    Coordenação ou participação em projetos de pesquisa,

    Participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica

    Liderança e reconhecimento institucional 

     

     

    15%

     

    Projeto de pesquisa - 20%

    • apresentar projeto de pesquisa de qualidade, com relevância temática, sólida fundamentação teórico-metodológica e bibliografia atualizada; conforme avaliação feita por consultores ad hoc e referendada pelos assessores da área.
       

    Produção científica - 50%

    • inclui produção científica, técnica, didática e artística
    • avaliação qualificada da produção, distinguindo a produção individual e qualificando as co-autorias; valorizando a produção que passa por processo de avaliação editorial e/ou de pares; buscando avaliar a repercussão da produção intelectual dentro da área e em áreas afins;
    • publicação livros e/ou capítulos de livros;
    • publicação de artigos de qualidade em periódicos de relevância para a área, nacionais e internacionais (para a categoria 1), se possível com adoção de critérios Qualis/CAPES;
    • publicação de trabalhos completos em Anais de eventos científicos de relevância reconhecida para a Área que tenham passado por rigoroso processo de seleção;
    • participação em mesas redondas, realização de palestras e conferências em eventos nacionais e internacionais (para a categoria 1).
    • participação em eventos nacionais e internacionais (apresentação de trabalho, comissões organizadoras, comitês de seleção de trabalhos, palestras e mesas redondas, entre outra atividade);

     

    Formação de recursos humanos principalmente em nível de pós-graduação - 15%

    • orientação de mestres e/ou doutores, iniciação científica e pós-doutorado;
    • atuação em programas de pós-graduação ou instituições de pesquisa reconhecidas e consolidadas
    • atuação no fortalecimento de instituições emergentes;
    • responsabilidade na formação de pesquisadores em vários níveis.


    Os itens a seguir representam 15% da avaliação.

    Contribuição científica, tecnológica e para a inovação 

    • desenvolvimento de atividades, práticas e metodologias relevantes e inovadoras nos campos social, tecnológico, instrumental, acadêmico, entre outros;
    • qualidade científica, tecnológica e caráter inovador da produção científica e do projeto de pesquisa.


    Coordenação ou participação em projetos de pesquisa,

    • comprovação de atividade continuada de pesquisa;
    • coordenação projetos de pesquisa com resultados divulgados como produção científica;
    • atuação no fortalecimento da pesquisa em centros regionais;
       

    Participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

    • participação de atividades de organização, de comitês de seleção de trabalhos ou de outras atividades conexas em eventos nacionais e internacionais;
    • coordenação e/ou direção de instituições acadêmicas e de pesquisa;
    • experiência como editor e em comissões editoriais de periódicos, editoras e publicações relevantes para a área;
    • participação em órgãos de representação e assessoria/consultoria científica.
       

    Liderança e reconhecimento institucional (principalmente para a categoria 1)

    • participação em bancas examinadoras de dissertações e teses; bancas de concurso público; comitês científicos de periódicos, congressos e associações; supervisão de estágios de pós-doutorado;
    • participação em funções acadêmicas e de pesquisa de interesse coletivo: direção, representação institucional e/ou coordenação exercidas em instituições acadêmicas, associações científicas e órgãos de fomento à pesquisa, atuação como parecerista ad hoc;
    • criação e coordenação de linhas e grupos de pesquisa e/ou grupos de trabalho de associações científicas.
  • Ciências da Vida

    Critérios de Julgamento – CA-FR

    Vigência: 2012 a 2015

    1. Normas gerais:


    a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior no caso dos níveis 1A-D.
    b) Os critérios incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação ou participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica.
    c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com critérios internacionais.
    d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq.  

    2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis


    2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2


    Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior, incluindo o ano da avaliação:
    a) ter concluído o doutorado há pelo menos 03 anos;
    b) ter publicado pelo menos 5 (cinco) trabalhos científicos em periódicos científicos com somatório dos índices de impacto das publicações (ou fatores de impacto) ≥ 10 (dez);
    c) ter concluído de pelo menos cinco orientações de iniciação científica e 02 (dois) Mestres em programa de pós-graduação stricto sensu;
    d) estar em atividade de pesquisa e de orientação de Mestrandos ou Doutorandos;
    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;
    f) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

    2.2. Critérios de acesso ao nível 1D:


    Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior, incluindo o ano da avaliação:
    a) ter concluído o doutorado há pelo menos 08 anos;
    b) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos com somatório dos índices de impacto das publicações (ou fatores de impacto) ≥ a 30 (trinta) nos últimos dez anos;
    c) apresentar um índice de orientações concluídas nos últimos dez anos igual ou maior que 08 (oito), sendo pelo menos 01 de doutorado;
    d) estar em atividade de pesquisa e de orientação e ter obtido auxílio financeiro para a pesquisa de Agências de Fomento sob sua coordenação;
    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;
    f) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas e suas respectivas bolsas-prêmio.

    2.3. Critérios para progressão os níveis 1C  e 1B


    Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos, no decênio anterior, incluindo o ano da avaliação:
    a) ter concluído o doutorado há pelo menos 08 anos;
    b) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos com somatório dos índices de impacto das publicações (ou fatores de impacto) ≥ a 40 (quarenta) nos últimos 10 (dez) anos;
    c) apresentar um índice de orientações concluídas igual ou maior que 15 (quinze) nos últimos dez anos; sendo pelo menos 02 de doutorado;
    d) estar em atividade de pesquisa e de orientação de doutorado e ter obtido auxílio financeiro para a pesquisa de Agências de Fomento sob sua coordenação;
    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;
    f) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas e suas respectivas bolsas-prêmio.

    2.4. Critérios para progressão o nível 1A


    a) ter concluído o doutorado há pelo menos 10 anos;
    b) ter publicado pelo menos 30 (trinta) trabalhos em periódicos científicos com somatório dos índices de impacto das publicações (ou fatores de impacto) ≥ a 50 (cinquenta) nos últimos 10 (dez) anos;
    c) apresentar um índice de orientações concluídas igual ou maior que 15 (quinze) nos últimos dez anos; sendo pelo menos 05 de doutorado;
    d) estar em atividade de pesquisa e de orientação de doutorado e ter obtido auxílio financeiro para a pesquisa de Agências de Fomento sob sua coordenação;
    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;
    f) além dos fatores anteriores, serão utilizados para dimensionar a contribuição do pesquisador para a formação de recursos humanos e produção de conhecimento na área de Ciências Farmacêuticas, a organização de eventos científicos, participação em comitês assessores, conselhos editoriais e sociedades científicas, atividades de política e gestão científica;
    g) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

    3. Comparações entre os pares da demanda:


    Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou liberadas, serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate para todas as Categorias/Níveis, os seguintes critérios, na seguinte ordem de prioridade:
    1. Número de publicações e índice de impacto dos respectivos periódicos científicos;
    2. Número de teses de doutorado orientadas e aprovadas;
    3. Número de dissertações de mestrado orientadas e aprovadas;
    4. Nucleação de grupos de pesquisa;
    5. Como fator de desempate, será considerado o fator H;
    6. Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação da bolsa PQ, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;
    7. Número de pós-doutores supervisionados;
    8. Número de orientações de doutorado em andamento;
    9. Número de orientação de mestrado em andamento;
    10. Número de orientações em andamento de bolsistas de Iniciação Científica do CNPq, Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e outras entidades equivalentes;
    11. A produção recente do proponente e a perspectiva de futuro de sua atividade de pesquisa.

    4. Reconhecimento de Notória Liderança Científica para pesquisadores 1A:


    Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos para a categoria 1A  poderá ser dispensada e critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados os seguintes critérios:
    1. Produção científica da carreira;
    2. Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se critérios qualitativos e quantitativos;
    3. Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação (Mestres e Doutores);
    4. Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;
    5. Nucleação de grupos de pesquisa;
    6. Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

    Nota: A concessão de excepcionalidade neste caso deverá obrigatoriamente ser apoiada por pelo menos 2/3 dos membros do CA.

    Para os cálculos de indicadores quantitativos serão utilizados: os bancos de dados da Plataforma Lattes do CNPq.

    As diferentes abreviaturas do nome de determinado pesquisador deverão ser conhecidas pelo CA e pelos técnicos do CNPq para evitar subestimar os parâmetros relacionados.

    Data de elaboração: novembro/2011
    Membros do CA-FR
    Maria Vitória Lopes Badra Bentley – Coordenadora
    Sílvia Staniçuaski Guterres
    Marcelo Sobral da Silva

    Brasília, 24 de novembro de 2011.

  • Ciências da Vida

    Critérios de Julgamento - CA-RF

    Vigência: 2012 a 2014
     

    1. Normas gerais

    a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior no caso dos níveis 1D a 1A.

    b) Os critérios incluem os seguintes quesitos:

    b1) Produção Científica e Inovação Tecnológica (trabalhos publicados, fator de impacto, participação em eventos científicos, livros, capítulos de livros, editoria de periódicos, patentes, desenvolvimento de produtos, etc. = 50%

    b2) Formação de Recursos Humanos (supervisão de pós-doutorado, dissertação e teses defendidas, orientações em andamento e participação em bancas) = 40%

    b3) Avaliação do Projeto de Pesquisa +Atuação Relevante em Ciência e Tecnologia (cargos de direção, membro de comissões e conselhos, prêmios e títulos, liderança científica, assessoria ad-hoc, realização de eventos, coordenação de programas, participação em projetos de pesquisa aprovados, realização de pós-doutorado = 10%.

    c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com critérios internacionais.

    d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq. 

    2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

    2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2:

    Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior:

    a) ter publicado pelo menos 5 (cinco) trabalhos científicos em periódicos científicos, de preferência como autor principal ou correspondente, em periódicos indexados com níveis A1 a B5 do Webqualis CAPES

    b) ter concluído a orientação de pelo menos 1 (um) Mestre;

    c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de Mestrandos ou Doutorandos;

    d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc,e

    e) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria, com base no desempenho quantitativo.

    2.2. Critérios de acesso ao nível 1D:

    Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

    a) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos indexados com níveis A1 a B5 do Webqualis CAPES.

    b)Ter concluído no mínimo 8 (oito) orientações "strictu sensu", das quais no mínimo uma em nível de Doutorado;

    c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 1 doutorando e 1 mestrando ou 2 mestrandos;

    d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc; e

    e) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas nesta categoria.

    2.3. Critérios para progressão os níveis 1C, 1B e 1A:

    Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

    a) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos indexados com níveis A1 a B5 do Webqualis CAPES;

    b) Ter concluído no mínimo 10 (dez) orientações "strictu sensu", das quais no mínimo duas em nível de Doutorado;

    c) estar em atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 1 (um) doutorando e 1 (um) mestrando;

    d) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc; e

    e) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

    f) pesquisador 1A deve ter fator "H" do Web of Science ou do Google acadêmico. Mínimo sugerido igual a 10.

    3. Comparações entre os pares da demanda:

    Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou liberadas, serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate para todas as Categorias/Níveis, os seguintes critérios, na seguinte ordem de prioridade:

    a) Número de publicações e índice de impacto dos respectivos periódicos científicos indexados de nível A1 a B5 do Webqualis CAPES;

     Para desempate, a posição do pesquisador como autor principal ou correspondente poderá ser considerada mais relevante do que posição intermediária;

    b) Número de teses de Doutorado orientadas e aprovadas;

    c) Número de dissertações de Mestrado orientadas e aprovadas;

    d) Nucleação de grupos de pesquisa;

    e) Índice "h;

    f) Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação da bolsa PQ, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

    g) Número de Pós-Doutores supervisionados;

    h) Número de orientações de Doutorado em andamento;

    i) Número de orientação de Mestrado em andamento, e

    j) Número de orientações em andamento de bolsistas de Iniciação Científica do CNPq, Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e outras entidades equivalentes.

    4. Reconhecimento de Notória Liderança Científica:

    Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados os seguintes critérios:

    a) Produção científica da carreira;

    b) Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se critérios qualitativos e quantitativos;

    c) Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação (Mestres e Doutores);

    d) Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;

    e) Nucleação de grupos de pesquisa;

    f) Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

    Nota: A concessão de excepcionalidade deverá obrigatoriamente ser apoiada por unanimidade dos membros do CA.

    Para os cálculos de indicadores quantitativos, serão utilizadas as informações do banco de dados da Plataforma Lattes do CNPq, assim como do Webqualis CAPES;

    As diferentes abreviaturas do nome de determinado pesquisador deverão ser conhecidas pelo CA e pelos técnicos do CNPq, para evitar subestimar os parâmetros relacionados.

  • Ciências da Vida

    Critérios de Julgamento - CA-AL

    Critérios de Avaliação para Bolsas de Produtividade em Pesquisa (PQ)

    Vigência: 2012 a 2014
     

    1. Normas Gerais:

    a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior no caso dos níveis 1A-D.

    b) Os critérios incluem sua produção científica, formação de recursos humanos, contribuição para a inovação, coordenação ou participação em projetos de pesquisa, participação em atividades editoriais e de gestão científica.

    c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica de acordo com critérios internacionais.

    d) Os solicitantes serão classificados pelos critérios a seguir, exclusivamente com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponiblizadas pelo CNPq. 

     

    2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

     

    2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2

    Este nível é a porta de entrada convencional para obtenção de Bolsa PQ. Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior:

    a) ter atuação destacada em Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos;

    b) ter publicado pelo menos 5 (cinco) trabalhos científicos em periódicos indexados pelo SCIELO e/ou ISI (equivalente aos níveis A1, A2, B1 e B2 do QUALIS/CAPES);

    c) ter concluído a orientação de pelo menos 1 (um) mestre ou 1 (um) Doutor. Na impossibilidade, devidamente justificada, de orientação de pós-graduação na própria instituição ou em instituições próximas ou associadas, este critério poderá ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos dois projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento (internacional/nacional/estadual) à pesquisa;

    d) estar desenvolvendo atividade de pesquisa e de orientação de Mestrandos ou Doutorandos; ou ser coordenador de pelo menos um projeto de pesquisa financiado por órgãos de fomento (internacional/nacional/estadual);

    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico na área de alimentos, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

    f) atingir pontuação, conforme tabela de pontuação, compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

     

    2.2. Critérios de acesso ao nível 1D:

    Para ser classificado neste nível o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

    a) ter atuação destacada em Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos;

    b) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos em periódicos indexados pelo SCIELO e/ou ISI (equivalente aos níveis A1, A2, B1 e B2 do QUALIS/CAPES);

    c) ter concluído a orientação de pelo menos 10 (dez) pós-graduandos (Mestres e/ou Doutores). Na impossibilidade, devidamente justificada, de orientação de pós-graduação na própria instituição ou em instituições próximas ou associadas, este critério poderá ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos cinco projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento (internacional/nacional/estadual) à pesquisa;

    d) estar desenvolvendo atividade de pesquisa e de orientação de pelo menos 3 (três) pós-graduandos (mestrandos e/ou doutorandos); ou ser coordenador de pelo menos um projeto de pesquisa financiado por órgãos de fomento (internacional/nacional/estadual);

    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

    f) atingir pontuação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria;

    g) haver disponibilidade de bolsas.

     

    2.3. Critérios para progressão os níveis 1C , 1B e 1A:

    Para ser classificado nestes níveis o pesquisador deverá satisfazer os seguintes requisitos mínimos, no decênio anterior:

    a) ter atuação destacada em Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos;

    b) ter publicado pelo menos 20 (vinte) trabalhos em periódicos científicos em periódicos indexados pelo SCIELO e/ou ISI (equivalente aos níveis A1, A2, B1 e B2 do QUALIS/CAPES) dos quais pelo menos cinco artigos têm que terem sido indexados na base ISI. Para o nível 1C é necessário que se tenha publicado os cinco artigos em periódicos em fase de obtenção do fator de impacto JCR ou que tenham fator de impacto de até 0,25. Para o nível 1B, os cinco artigos terão que terem sido publicados em periódicos com fator de impacto JCR igual ou superior a 0,25. Para o nível 1A, os cinco artigos terão que terem sido publicados em periódicos com fator de impacto JCR igual ou superior a 0,50;

    c) ter concluído a orientação de pelo menos 3 (trêz) Doutores. Na impossibilidade, devidamente justificada, de orientação de pós-graduação na própria instituição ou em instituições próximas ou associadas, este critério poderá ser substituído pela conclusão da coordenação de pelo menos cinco projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgãos de fomento (internacional/nacional/estadual) à pesquisa;

    d) estar em atividade de pesquisa e de orientação de 3 (três) Pós-graduandos (mestrandos ou doutorandos) e/ou Pós-Doutores ou estar coordenando pelo menos dois projetos de pesquisa que tenham recebido financiamento de órgão de fomento (internacional/ nacional/estadual) à pesquisa; 

    e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, na área de alimentos, conforme avaliação do CA com base nos pareceres dos consultores ad hoc;

    f) atingir pontuação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria;

    g) haver disponibilidade de bolsas.

     

    3. Comparações entre os pares da demanda:

    Considerando-se a oferta limitada de bolsas novas e/ou liberadas, será utilizado como parâmetro de classificação, para todas as Categorias/Níveis, a pontuação obtida.

     

    4. Reconhecimento de Notória Liderança Científica:

    Em casos excepcionais, parte dos requisitos mínimos acima poderá ser dispensada e critérios adicionais de comparação entre pares poderão ser utilizados para candidatos que possuem liderança científica amplamente reconhecida pela sua obra. Essa qualidade leva em consideração o fazer escola de pensamento científico, a disseminação nacional e internacional de uma área de investigação e a criação de instituições científicas ou tecnológicas de excelência. Na caracterização desta excepcionalidade serão considerados os seguintes critérios:

    1. Produção científica da carreira;

    2. Impacto da produção científica ou tecnológica, utilizando-se critérios qualitativos e quantitativos;

    3. Contingente de recursos humanos formados em nível de Pós-Graduação (Mestres e Doutores);

    4. Destino dos recursos humanos formados e sua contribuição científica;

    5. Nucleação de grupos de pesquisa;

    6. Atividades de gestão científica e tecnológica e de administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica.

     

    Nota: A concessão de excepcionalidade neste caso deverá obrigatoriamente ser apoiada por pelo menos 2/3 dos membros do CA.

    Para os cálculos de indicadores quantitativos serão utilizados os bancos de dados da Plataforma Lattes do CNPq.; Thomson ISI Web of Science

    As diferentes abreviaturas do nome de determinado pesquisador deverão ser conhecidas pelo CA e pelos técnicos do CNPq para evitar subestimar os parâmetros relacionados.

     

    5. Casos Excepcionais de Mérito

     

    Levando como referência que o CNPq mantém a bolsa de produtividade em pesquisa para os membros do Comitê durante sua gestão, vale a pena considerar a concessão de bolsa de produtividade em pesquisa para todos os Coordenadores dos projetos aprovados no âmbito do Programa do INCT - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, recém criado, nacionalmente julgado por alto nível e com suma importância para pesquisas no País onde Coordenadores desempenham papel de destaque para contribuir soluções científicas viáveis para ás áreas estratégicas no desenvolvimento do País através das pesquisas nestes projetos de grande porte, nada mais justo que o CNPq aprova automaticamente e assegura bolsas em produtividade em pesquisa para os Coordenadores nos seus níveis atuais que enquadram para o período de vigência (3 ou 5 anos) do projeto.

Mostrando 1 - 10 de 47 resultados.
Itens por página 10
de 5

Navegue pelo mapa do Portal Navegue pelo mapa do Portal

Outros Sites
 
De segunda a sexta das 8h30 às 18h30
0800 61 96 97
 
 
SHIS QI 1 Conjunto B - Blocos A, B, C e D
 
 Lago Sul - Brasília.DF - Cep: 71605-001
 
 Horário de funcionamento do CNPq
Segunda a sexta - 8h30 às 12h00 e 14h00 às 18h30
 
 
CNPq | Uma agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação