COSAE | AE - Administração, Contabilidade e Economia

Ciências Humanas e Sociais Aplicadas

Comitê de Assessoramento de Administração Contabilidade e Economia (CA-AE)

Critérios de Julgamento

Vigência: 2015 a 2017

 

Critérios para as áreas de Administração e Contabilidade

Requisitos e Condições Básicas

1. Atividade principal do bolsista

2. Vinculação em instituição com atividade contínua de pesquisa e / ou ensino em nível de mestrado e doutorado.

3. Tempo de obtenção do título de doutor.

4. Três anos de obtenção do título de doutor para o nível 2 e de oito anos para o nível 1.

5. Qualidade do projeto de pesquisa.

6. O mérito técnico-científico do projeto de pesquisa é avaliado considerando os seguintes fatores:

- a justificativa para sua realização, a clareza, originalidade e relevância da questão que se pretende elucidar, o foco e a clareza de seus objetivos;

- a pertinência do referencial teórico, a bibliografia utilizada baseada em publicações seminais nacionais e internacionais;

- a adequação da metodologia proposta;

- a duração proposta para a realização da pesquisa;

- os benefícios potenciais dos resultados esperados para a área do conhecimento e para a sociedade brasileira; e

- a classificação das propostas pauta-se nos critérios de comparação entre pares, além do número de bolsas disponíveis.

O projeto de pesquisa é avaliado por dois consultores ad hoc. A opinião desses consultores, com relação a esses itens, é considerada, pelo Comitê Assessor, como fonte importante para a avaliação do projeto. O Comitê Assessor também avaliará os projetos de pesquisa com uma visão estratégica da área de Administração e Contabilidade, para incentivar as pesquisas que representem novos avanços da ciência, bem como as subáreas ou linhas de pesquisa que não estão bem desenvolvidas no país e que são relevantes para o desenvolvimento científico da área e da sociedade brasileira.

1. Produção Intelectual e Disseminação do Conhecimento

Na produção intelectual e disseminação do conhecimento avaliam-se os seguintes aspectos:

- Produção científica regular nos estratos superiores do Qualis CAPES (A1, A2, B1 e B2) na área de Administração ou Contabilidade; e

- Citação dos produtos do proponente

2. Formação de Recursos Humanos.

O Comitê de Administração e Contabilidade adota como requisito mínimo a conclusão de duas orientações de mestrado ou uma orientação de doutorado.

3. Coordenação de pesquisa, liderança e reconhecimento científico

Consideram-se a experiência do pesquisador na coordenação de projetos e grupos de pesquisa, a capacidade demonstrada de nucleação de grupos de pesquisa, o exercício de funções de liderança e de coordenação de atividades acadêmicas em instituições de ensino e pesquisa e em associações científicas e agências de fomento, a participação em atividades editoriais, administração de núcleos de excelência científica e tecnológica; a contribuição científica e tecnológica para a inovação.

Recomendação e Enquadramento

Para a emissão de pareceres finais de recomendação, o Comitê Assessor atribuirá os seguintes pesos:

Produção intelectual: 50%

Formação de mestres e doutores: 20%

Coordenação de pesquisa: 15%

Liderança e reconhecimento científicos: 15%

Perfis mínimos do Pesquisador nível 1

Para ascensão ao nível 1 é necessário que o pesquisador comprove alto nível de inserção na comunidade científica ¿ em nível nacional para 1D e 1C e em nível internacional para 1B e 1A. Além da observância dos resultados alcançados nos quesitos Produção intelectual, Formação de mestres e doutores, Coordenação de pesquisa, e Liderança e reconhecimento científicos, as condições adiante descritas serão observadas pelo Comitê de Administração e Contabilidade para enquadramento do pesquisador nível 1:

Nível 1D ¿ Ter concluído duas orientações de doutorado e autoria de um artigo publicado em periódico classificado no estrato A do Qualis/CAPES, nos últimos dez anos.

Nível 1C ¿ Ter concluído três orientações de doutorado, autoria de dois artigos publicados em periódicos classificados no estrato A do Qualis/CAPES, ter exercido atividades editoriais relevantes (função de editor geral de periódico, por exemplo), ou a função de coordenador de programa de pós-graduação, ter atuado em comitês de agências de fomento ao ensino e pesquisa, ou desenvolvido atividades semelhantes, nos últimos dez anos.

Nível 1B ¿ Ter concluído quatro orientações de doutorado, autoria de três artigos publicados em periódicos classificados no estrato A do Qualis/CAPES, ter exercido a função de editor geral de periódico de nível B2 ou superior, ou ter exercido a função de membro do Comitê Assessor de Administração e Contabilidade do CNPq, ou função de direção de associações científicas representativas da área de Administração e Contabilidade, ou de coordenação da área de Administração, Contabilidade e Turismo, na CAPES, ou desenvolvido atividades semelhantes, nos últimos dez anos.

Nível 1A ¿ O bolsista nível 1A deve ter realizado atividades ou exercido funções de liderança científica que tenham contribuído para a consolidação da área de Administração e Contabilidade como campo de conhecimento científico no Brasil. Além de atender as condições do nível 1 B exige-se, para este nível, que o pesquisador tenha autoria de quatro artigos publicados em periódicos classificados no estrato A, e tenha demonstrado capacidade de nucleação de grupos de pesquisa.

 

Critérios da área de Economia

1- Requisitos e Condições Básicas

i) Dedicar-se a atividades de pesquisa.

2- Qualidade do Projeto

O projeto de pesquisa terá um peso importante na avaliação da requisição de bolsa. Na avaliação do projeto serão levados em conta:

i) Sua contribuição com relação ao estado atual da literatura econômica.

ii) Seus fundamentos teóricos.

iii) A pertinência da abordagem metodológica.

iv) Viabilidade de realização durante o período de concessão da bolsa. A opinião de dois pareceristas ad hoc com relação a esses itens será uma fonte importante de informação a ser utilizada para avaliar o projeto, principalmente quando ela é ponderada e circunstanciada, pois a bolsa de Produtividade é destinada aos pesquisadores que se destaquem entre seus pares, valorizando sua produção científica segundo critérios normativos, estabelecidos pelo CNPq, e específicos, pelos Comitês de Assessoramento (CAs) do CNPq.

3- Produção Científica e Participação em Congressos

A publicação de trabalhos em revistas especializadas é uma medida importante da penetração e da importância do pesquisador na comunidade científica e, portanto, terá um peso grande na avaliação da solicitação. A publicação de artigos nas melhores revistas internacionais e nacionais, segundo a avaliação do "Qualis" da CAPES, é hoje um critério considerado imprescindível. O comitê de Economia considerará as publicações realizadas durante os últimos cinco anos para os já classificados no nível 2 ou os que se candidatam ao ingresso ou re-ingresso no sistema. A produção científica cadastrada no sistema Lattes do pesquisador 1 será avaliada nos últimos 10 anos. Deve ser ressaltado que publicações em revistas de maior qualidade e reputação científica serão privilegiadas para concessão de bolsa. A publicação de livros e de capítulos de livros, serão levados em consideração, porém com peso menor que a publicação de artigos.

4- Formação de Pesquisadores

A capacidade do pesquisador de formar novos pesquisadores também é avaliada e levada em conta para concessão da bolsa. O comitê de Economia considerará principalmente as orientações de teses de doutorado já concluídas e secundariamente de dissertações de mestrados. O comitê de Economia considerará as orientações realizadas durante os últimos cinco anos para os já classificados do nível 2 ou os que se candidatam ao ingresso ou re-ingresso no sistema. No caso do pesquisador 1 será considerada as orientações dos últimos dês anos.

5- Critérios Qualitativos

Os critérios qualitativos complementam os critérios quantitativos e incluem itens relevantes e de difícil quantificação, como a participação em atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica; a contribuição científica e tecnológica para a inovação e liderança e reconhecimento institucionais.

6- Outros Critérios

É preciso mencionar que no processo de concessão da bolsa de produtividade em pesquisa, os pesquisadores antigos (que já recebem bolsa) serão submetidos aos mesmos critérios por meio dos quais serão avaliados os pesquisadores novos, podendo ter seu pedido de renovação negado caso não atinjam os critérios listados acima.

Vale mencionar por fim que, como o número de bolsas é limitado e a demanda tem sido maior que a oferta, os critérios para concessão de bolsa são necessariamente comparativos, não havendo padrão mínimo a partir do qual a bolsa será concedida.

Recomendação e Enquadramento

Para a emissão de seus pareceres finais de recomendação, o Comitê Assessor atribuirá os pesos abaixo:

Produção Intelectual: 50%

Formação de recursos humanos em nível de pós-graduação: 30%

Atividades editoriais, de gestão científica, administração de instituições e núcleos de excelência científica e tecnológica: 10%.

Contribuição científica, tecnológica para a inovação: 5%

Liderança e reconhecimento institucional: 5%.

Com relação ao tratamento a ser dado para as propostas multi e interdisciplinares o Comitê de Economia pretende seguir os mesmos critérios utilizados nas solicitações da área de economia. A produção científica em veículos de outras áreas será contabilizada utilizando o Qualis da Capes, fazendo-se os ajustes necessários para que siga o mesmo padrão de distribuição do Qualis da área de economia.