COAGR | AQ - Aquicultura e Recursos Pesqueiros

Ciências da Vida

Critérios de Julgamento - CA-AQ

Vigência: 2018 a 2020

1. Normas gerais:

a) O desempenho do pesquisador é avaliado por meio de indicadores referentes ao quinquênio anterior, no caso do nível 2, e do decênio anterior, no caso do nível 1;

b) Os critérios incluem a produção científica, a formação de recursos humanos, a contribuição para a inovação, a coordenação de projetos de pesquisa financiados por agências de fomento ou empresas, a participação em atividades editoriais e de gestão científica;

c) A avaliação enfatiza a qualidade da produção científica e tecnológica com aderência às áreas aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

d) Entende-se que trabalhos em Aquicultura e/ou Recursos Pesqueiros contemplam a geração de conhecimento científico referente à produção de organismos aquáticos por criação em cativeiro ou extrativismo. Trabalhos em áreas correlatas são pertinentes desde que inseridos nesse contexto de forma clara, mostrando a contribuição do conhecimento gerado para o desenvolvimento da aquicultura e/ou da pesca.

e) Com a finalidade de adequar a demanda às cotas de bolsas PQ disponibilizadas pelo CNPq, as solicitações serão classificadas de acordo com critérios abaixo discriminados.

2. Requisitos mínimos para os diferentes Níveis

2.1. Requisitos mínimos para acesso ao Nível 2

Para ser classificado no nível 2, o pesquisador deverá satisfazer aos seguintes requisitos mínimos no quinquênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 5 (cinco) trabalhos científicos, como autor principal (primeiro ou último autor) na área de aquicultura e/ou recursos pesqueiros, em periódicos com fator de impacto normalizado (em relação à mediana da área na qual a revista está classificada nas bases de dados Web of Science e/ou Scopus) igual ou superior a 0,5;

b) ter concluído a orientação de pelo menos 1 (um) Mestre ou 1 (um) Doutor na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros.

c) estar engajado e atuante em atividade de pesquisa e de orientação acadêmica em nível de pós-graduação strictu sensu na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

d) ter participado presencialmente em pelo menos 2 (dois) eventos científicos na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

e) ter coordenado pelo menos 2 (dois) projetos de pesquisa financiados por agências de fomento ou empresas;

f) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de sólido mérito científico, na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

g) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

2.2. Critérios de acesso ao nível 1D

Para ser classificado neste nível, o pesquisador deverá satisfazer aos seguintes requisitos mínimos no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 20 (vinte) artigos científicos, na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros, sendo que, pelo menos 10 (dez) como autor principal (primeiro ou último autor) e em periódicos com fator de impacto normalizado igual ou superior a 0,6;

b) ter concluído a orientação de pelo menos 2 (dois) Doutores ou 4 (quatro) Mestres, ou 1 (um) Doutor e 2 (dois) Mestres na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

c) ter participado regularmente, de modo presencial, de eventos científicos na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros ao longo do decênio, sendo exigida participação em pelo menos 4 eventos;

d) Ter coordenado pelo menos 2 projetos de pesquisa financiados por agências de fomento ou empresas;

e) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de mérito científico, na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

f) haver disponibilidade de bolsas novas ou liberadas e seus respectivos adicionais de bancada.

2.3. Critérios para progressão aos níveis 1C, 1B e 1A

Para auferir mobilidade nestes níveis, o pesquisador deverá satisfazer aos seguintes requisitos mínimos, no decênio anterior:

a) ter publicado pelo menos 30 (trinta) artigos em periódicos científicos na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros, sendo 15 (quinze) como autor principal (primeiro ou último autor) e em periódicos com fator de impacto normalizado igual ou superior a 0,7;

b) ter concluído a orientação de pelo menos 4 (quatro) Doutores na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros;

c) ter participado regularmente, de modo presencial, em eventos científicos na área aquicultura e/ou recursos pesqueiros ao longo do decênio, sendo exigida participação em pelo menos 5 eventos;

d) ter coordenado pelo menos 2 (dois) projetos de pesquisa financiados por agências de fomento;

f) ter linha de pesquisa definida e apresentar projeto de pesquisa de sólido mérito científico, na área de aquicultura e/ou recursos pesqueiros, preferencialmente desenvolvidos por grupos ou redes de pesquisa, ou inseridos em programas de pesquisa de longa duração, nacionais e/ou internacionais;

f) atingir classificação compatível com a cota de bolsas disponíveis nesta categoria.

3. Comparações entre os pares da demanda

Serão utilizados como parâmetros de classificação e desempate, para todas as Categorias e Níveis, os seguintes critérios:

1. Número de publicações e índice de impacto normalizado dos respectivos periódicos científicos, considerando:

a) soma do índice de impacto normalizado das publicações do proponente;

b) a posição do pesquisador como autor principal (primeiro ou último);

c) número de citações das publicações nas bases de dados Web of Science, e/ou Scopus, e/ou Google Scholar;

d) livros (redação ou organização de obra) e capítulos de livros que receberam ISBN, preferencialmente publicados por editoras científicas consagradas, externas à instituição de origem do pesquisador;

e) publicações destinadas ao público em geral, visando à popularização da ciência.

2. Número de orientações de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, e supervisão de Pós-Doutorado, concluídas e em andamento.

3. Número de patentes depositadas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, ou em instituição equivalente no exterior.

4. Participação em corpo editorial, ou como editor, de periódicos científicos indexados nas bases de dados Web of Science e/ou Scopus.

5. Qualificação do projeto de pesquisa apresentado na solicitação de bolsa PQ, bem como sua contribuição para o desenvolvimento da pesca e aquicultura, geração de renda e melhoria da qualidade de vida das populações humanas e meio ambiente.

6. Ter envolvimento com atividade de difusão do conhecimento ao setor produtivo ou à sociedade em geral.

7. Palestras ministradas em congressos como plenary speaker, invited speaker etc.

8. Participação em comitês científicos de avaliação de propostas ou de definição de editais.

9. Participação na diretoria de sociedades científicas nacionais e internacionais.